Possibilidade de Linha Grega ao Porto de Imbituba

- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Imbituba

- PUBLICIDADE -

A terceira reunião realizada pelo comitê formado por associações empresariais da região para debater melhorias no Porto de Imbituba recebeu ontem armadores da Grécia para prospectar a possibilidade de uma linha do país europeu aos equipamentos de Santa Catarina.

O acordo, aponta o presidente da Associação Empresarial de Imbituba (Acim), Adilson Silvestre, pode resultar em retorno que ultrapassaria a casa dos U$ 150 milhões por meio da comercialização dos produtos em uma linha especificamente de contêineres. “Estamos buscando fazer a nossa lição de casa, que passa pela tutela das associações empresariais, e levantar quais são as mercadorias que podem ser exportadas pelo Porto de Imbituba. Se tivermos uma demanda suficiente para o Sul do estado, ou pensando ainda no Nordeste do Rio Grande do Sul após a Serra da Rocinha (BR-285) concluída, podemos otimizar e viabilizar uma rota para a Ásia e também aos países lusófonos com navios próprios que chamamos de linha dedicada”, comenta.

Após o encontro realizado pela manhã em Imbituba, as lideranças partiram para Florianópolis onde, à tarde, participaram de audiência na SCPar, também para tratar de acordos internacionais, visando dar impulso à economia, principalmente do Sul do estado. “Além de debater sobre o acordo comercial, tratamos também da instalação de uma área alfandegada que chamamos de Ilha Grega, que é basicamente a entrada de produtos gregos para que possam ser nacionalizados dentro desta área. Isso aconteceria em Imbituba e os produtos vendidos para o Sul do Brasil e para o Mercosul de maneira geral”, relata.

Além da Acim, o comitê ainda conta com a Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Associação Empresarial de Araranguá (Aciva) e Associação Empresarial do Vale do Braço do Norte (Acivale).  “O Estado entende que precisa ser feitas melhorias em infraestrutura portuária em Imbituba e estão entendo o chamado das associações empresariais que se unem em torno destas melhorias, frisando que o grande comandante o tudo é a Acic, até pelo tamanho e pelo que representa. Em 20 anos é a primeira vez que vejo a construção de um projeto comum em prol do Sul. Devemos cobrar o poder público para que o Governo trabalhe em infraestrutura e em não atrapalhar o andamento”, destaca Silvestre.

A ampliação da quantidade de rotas no Porto de Imbituba é uma das bandeiras levantadas pelo comitê. “Estamos no seio das instituições, conversando, vendo as possibilidades para depois, com o modelo pronto, chamar a classe empresarial para acreditar no projeto, fazer os investimentos para que venham as mercadorias por meio do porto”, complementa.

Além das associações, o encontro teve a presença de representantes do Terminal Intermodal Sul (TIS), da Ferrovia Tereza Cristina (FTC), da administração do porto e do Governo do Estado.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Imbituba

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.