A necessidade de qualificar a mão de obra

Estudo aponta que Santa Catarina precisa qualificar mais de 785 mil trabalhadores até 2013

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

 

Marciano Bortolin

- PUBLICIDADE -

Criciúma

Santa Catarina terá que qualificar mais de 785 mil trabalhadores para a indústria nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os números são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). 

As ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia. A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (28%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões. Além de subsidiar a oferta de cursos do Senai, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado. “O profissional qualificado de acordo com a necessidade do mundo de trabalho tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova oportunidade mais facilmente quando as vagas forem oferecidas”, afirma o diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi.

Estado bem servido

O economista, Enio Coan, destaca que Santa Catarina possui um diferencial na comparação com outros estados. Para ele, o fato de ter um indústria diversificada e definida por regiões favorece a capacitação.  “Os focos são bem determinados, o que torna fácil para o sistema de ensino, de aperfeiçoamento de mão de obra preparar os cursos. Temos exemplos como o Senai e a Satc, entre outras, que operam nesta área. É fácil para elas prepararem os curso porque o foco está claro, evidente. Isso representa um aumento de produtividade da atividade industrial, principalmente nas funções específicas resultando, consequentemente, na melhoria da competitividade do estado, gerando renda”, pontua.

Formação de técnicos

As áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Santa Catarina são transversais; metalmecânica; informática; energia e telecomunicações; e eletroeletrônica. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção. Cursos técnicos têm carga horária entre 800h e 1.200h (1 ano e 6 meses) e são destinados a alunos matriculados ou egressos do ensino médio.

*A reportagem completa você confere no TN desta terça-feira, dia 8.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.