Economia de energia na indústria catarinense será de R$ 190 milhões em um ano

- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A indústria catarinense deverá gerar economia de R$ 190 milhões em um ano. A estimativa é da Celesc que anunciou redução média de 5,53% na semana passada, que traz alívio ao custo industrial. No total, somado todo o Grupo A, a economia deve chegar a R$ 280 milhões. Além da redução para a alta tensão, onde se enquadram as indústrias e grandes comércios, a companhia também divulgou a redução de 9,7% para os consumidores de baixa tensão. “A redução tarifária é bom para a sociedade como todo e no caso da economia, contribui muito com a competitividade e ajuda na retomada do crescimento, pois permite as empresas trabalharem com uma tarifa menor com o mesmo serviço”, destaca o gerente de Regulação da Celesc, Fábio Valentin.

O presidente em exercício da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Gilberto Sele-me avalia a tarifa menor de forma positiva. “A energia é fator de competitividade para a indústria. Há setores em que o insumo representa até 30% dos custos de produção. A economia do país ainda não retomou com força seu ritmo e devemos ter um ano de baixo crescimento. Então, a notícia de queda na tarifa é um fator que traz otimismo”, diz.

O presidente da Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Moacir Dagostin, fala que toda a redução é bem vinda e que esta em particular refletirá de forma positiva. “Temos aquelas indústrias que usam o gás, principalmente as cerâmicas, mas na região a maior fonte de energia continua sendo a elétrica, pois, além do gás, não temos outras energias alternativas. Esta redução, com certeza, tornará as empresas mais competitivas”, relata.

Investimentos na melhoria da energia

Com os novos valores, a tarifa residencial aplicada pela Celesc passa a ser a segunda menor entre todas as concessionárias de distribuição de energia do país. Valentin aponta ainda que a estatal tem um planejamento de investimentos. Para o Sul do estado está prevista a instalação de novo alimentador em Araranguá, instalação de nova linha de distribuição entre Ermo e Sombrio, inauguração da nova subestação em Sangão, ampliação da subestação de Imbituba e ampliação da SE Garopaba.

Além destas, também está no planejamento da empresa a construção de uma nova subestação entre Balneário Arroio do Silva e Araranguá, cuja conclusão está prevista para 2022. “A intenção é, para este ano, aplicar em torno de R$ 550 milhões e a expectativa para o próximo ano está no mesmo patamar”, diz.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.