Aproximação das empresas com instituições de ensino no foco do Fórum da Indústria Química

Evento ocorre hoje, na Acic e, além de palestras, premia trabalhos acadêmicos voltados ao setor  

Foto: Lucas Colombo/TN
- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com objetivo de aproximar as indústrias químicas das instituições de ensino, o Sindicato das Indústrias Químicas do Sul Catarinense (Sinquisul) promove nesta quarta-feira, dia 14, o 3º Fórum da Indústria Química. O evento inicia às 13h e segue até as 21h, no auditório Jayme Antônio Zanatta, na Associação Empresarial de Criciúma (Acic), e deve reunir aproximadamente 300 pessoas, entre estudantes, professores e empresas, que terão na pauta o debates sobre inovação, segurança, economia e sustentabilidade do setor. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.sympla.com.br.

A primeira palestra será sobre empreendedorismo com o professor Jailson Mendes da Lenk Automação. Já o professor Igor Drudi, mestre em desenvolvimento socioeconômico, falará sobre o movimento da Indústria 4.0.

No comando do sindicato há um mês, Andres Pesserl, que já foi presidente em duas outras oportunidades, diz que, durante o fórum, será exposto o que de mais importante está sendo feito no desenvolvimento, na sustentabilidade, entre outros. “Estamos preocupados em qualificar melhor o pessoal técnico, do desenvolvimento, da criação. Agora com o acordo com a União Europeia e com a conversa com os Estados Unidos sobre a quebra de barreiras, traz a necessidade de competitividade e isso se traduz em inovação, e isso vem por informação e conhecimento. Se não começarmos a acelerar este processo com as ferramentas que temos, vamos ficar para traz”, pontua.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Fernando Figueredo, também estará no Fórum com a palestra “Um Outro Futuro é Possível”, fazendo uma previsão do setor químico no Brasil e as expectativas de crescimento. Neste ano, o professor-doutor da Petrobrás, Eduardo Falabella, falando sobre o Dimetil-éter, o combustível do futuro. “O Fórum servirá para unir o conhecimento com a prática”, destaca o segundo o vice-presidente do Sinquisul, Edilson Zanatta.

A dinâmica do Fórum abrange perguntas ao fim de cada uma das seis palestras, além de um painel de discussões.

Prêmio Sinquisul de Química

Com a criação do Prêmio Sinquisul de Química, o Fórum cresce em expectativa com a participação dos acadêmicos de sete instituições de ensino que tem o curso de química em sua grade. “Temos o suporte de sete instituições de ensino que trazem estes trabalhos ao evento, com temas escolhidos nas próprias escolas. Queremos que isso faça parte do currículo de cada um para que tenha maior empregabilidade. Fundamentalmente é o objetivo é passar informação”, exalta o presidente.

A professora e coordenadora do curso de Engenharia Química da Faculdade Satc, Aline Resmini Melo ressalta que a iniciativa fez com que os trabalhos melhorassem a cada semestre. “Os alunos estão mais estimulados para a realização das pesquisas e os trabalhados estão mais relevantes”, diz Aline, acrescentando que não somente as instituições de ensino ganham com a aproximação das indústrias, mas que os estudantes se sentem mais valorizados com a premiação.

Já a professora e coordenadora do curso de Engenharia Química da Unesc, Maria Alice Cechinel, aponta que os acadêmicos se empenham mais na confecção dos trabalhos e ganham motivação extra para concorrer ao Prêmio Sinquisul. “O vencedor é avaliado no trabalho realizado e no desempenho apresentado durante o curso”, explica.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.