Total de doação de órgãos ainda é pequeno na região

Das 52 notificações registradas em hospitais do sul catarinense até agosto deste ano, apenas 55% foram autorizadas. Lista de espera por transplante tem, em média, 600 pacientes por mês

- PUBLICIDADE -

Suelen Bongiolo

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A conscientização sobre a importância da doação de órgãos tem avançado nos últimos anos, mas o total de captações ainda é pequeno, em relação ao número de pacientes que aguardam na fila de espera. No levantamento da Central de Transplantes de Santa Catarina (SC Transplantes), de janeiro a agosto deste ano, foram registradas 28 doações na região – de um total de 52 notificações no período – e 193 no estado. Porém, a média de pessoas que aguardam por um órgão chega a 600 por mês.

Hoje, Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, o assunto ganha ênfase, com o intuito de orientar a sociedade sobre o processo e incentivar a aceitação por parte das famílias. “As pessoas não precisam ter medo. Precisamos conscientizar a população sobre o quanto é importante ser um doador. Lidar com a dor, todos sabemos que não é fácil, perder uma pessoa é doloroso demais, mas salvar uma, duas ou mais vidas certamente traz um conforto ao coração”, ressalta a enfermeira e integrante da Comissão Hospitalar de Transplantes (CHT) do Hospital São José (HSJosé), Daniela Luiz Rocha.

De certa forma, o processo inicia ainda em vida, quando a pessoa comunica aos familiares de que gostaria de se tornar um doador, pois a captação só ocorre com autorização de parentes de até quarto grau. Quando o paciente tem morte encefálica declarada, com a parada irreversível das funções do cérebro, a equipe da CHT entra em ação, confortando e orientando a família. Caso obtenha a autorização, inicia-se o processo para a captação dos órgãos, que auxiliarão outras pessoas na luta pela vida.

Ações no Hospital São José

Com a proximidade da data voltada a discutir o assunto, o HSJosé intensifica as ações para sensibilizar a população sobre o tema. Hoje o dia será marcado por uma iniciativa que envolve os enfermeiros do hospital, que, no horário de visitas, estarão em frente à instituição informando as pessoas sobre a importância da doação de órgãos.

Aos poucos, a resposta dessa sensibilização já começa a ser percebida no hospital. Em menos de um dia – entre às 23h dessa quarta-feira e 13h de ontem – a equipe foi autorizada a fazer quatro captações de múltiplos órgãos. Os pacientes, com idade entre 27 e 64 anos, doaram fígado, rins e córneas. Com isso, o total de doações na instituição de Criciúma passa para 16 casos em 2019.

Para realizar os procedimentos desta semana, a comissão do HSJosé recebeu auxílio de equipes de Florianópolis e Blumenau. Os órgãos captados foram encaminhados à Central de Transplantes, para beneficiar pessoas que aguardam na fila.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.