Serviço Geológico do Brasil finaliza recuperação de áreas degradadas pela mineração do carvão

Para formalizar o encerramento da execução das obras e serviços de engenharia na área III denominada Rio Pio, com 118 hectares, no município de Treviso, será realizada audiência pública, no dia 12/11.

- PUBLICIDADE -

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), empresa pública vinculada ao Ministério de Minas e Energia, concluiu mais uma etapa da recuperação de áreas degradadas pela mineração do carvão em Santa Catarina.

Para formalizar o encerramento da execução das obras e serviços de engenharia na área III denominada Rio Pio, com 118 hectares, no município de Treviso, será realizada audiência pública, no dia 12/11. A recuperação é executada pela CPRM em nome da União Federal por decisão judicial (Ação civil pública n° 93.8000.533-4).

- PUBLICIDADE -

A audiência tem por objetivo informar aos proprietários das áreas recuperadas, às comunidades do entorno e ao Poder Público Municipal, as restrições e limitações de uso, principalmente durante a fase de monitoramento ambiental, que visa verificar a eficácia das obras implementadas. Participam membros do MPF, MME, ANM, MMA, IBAMA, AGU, IMA, Prefeitura de Treviso, FUNTREV, UNESC, CR.

Você gostaria de conhecer essas áreas que faziam parte de um passivo ambiental e agora estão recuperadas? No dia 12, participe da visita à área Rio Pio promovida pelo Serviço Geológico do Brasil, em Treviso/SC, às 11h.

O Projeto de Recuperação Ambiental de Áreas Degradadas (PRAD), sob execução do Serviço Geológico do Brasil, visa a reabilitação de mais de 1.100 hectares de áreas degradadas pela mineração do carvão, e de mais de 1.000 km de recursos hídricos impactados pela drenagem ácida de mina.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.