Praia Grande: Desapropriações e licença ambiental são as próximas etapas para a obra de pavimentação da SC-108

Segundo Hassler, a pavimentação dos 31 quilômetros está orçada em R$ 111 milhões e para que seja realizada, o Governo terá que buscar uma forma de financiamento.

- PUBLICIDADE -

O secretário de Infraestrutura, Carlos Hassler, apresentou nesta terça-feira (30), na comunidade de Cachoeira, em Praia Grande, para mais de 400 moradores da região, o projeto executivo da obra de pavimentação da SC 108, entre Jacinto Machado e a Capital dos Cânions.

Segundo Hassler, a pavimentação dos 31 quilômetros está orçada em R$ 111 milhões e para que seja realizada, o Governo terá que buscar uma forma de financiamento. “O governador está trabalhando para que Santa Catarina melhore a classificação C para B na Secretária do Tesouro Nacional, e assim, vamos poder abrir outros canais de financiamentos e alocarmos recursos para obras estruturantes no estado”, informou o secretário.

- PUBLICIDADE -

De acordo com Hassler enquanto não há os recursos será formada uma equipe na Secretaria de Infraestrutura para junto com lideranças da região para conversar com os moradores extremantes com a rodovia e tratar do processo de desapropriações das áreas. “Como o recurso para o processo de desapropriação é independente, podemos ir resolvendo cada caso e irmos pagando. Com isto, vamos garantindo um novo passo para que se possa realizar a obra”, comentou o secretário e informou que nos próximos meses estarão dando início as negociações de desapropriação.

Para o proponente do encontro, o deputado estadual Zé Milton a noite de ontem deu início a uma nova fase. “Não estamos aqui dizendo que iremos realizar a obra amanhã ou depois. Hoje apresentamos o projeto executivo e vencemos mais uma etapa. O governo do Estado tem uma divida com a nossa região, pela falta de investimento ao longo dos anos. Nosso objetivo agora com o projeto em mãos é trabalhar para ver formas de conseguirmos os recursos necessários e apoiar o Governo no que for possível”, informou Zé Milton.

O presidente da Associação Empresarial de Jacinto Machado ACIJAM, Adelor Emerich declarou que a entidade está a disposição da Secretaria de Infraestrutura para auxiliar no contato com as famílias. “Tenho a certeza de que não haverá problemas nas desapropriações, nossa gente aguarda tanto essa obra que de “bom grado” vamos entrar em todas estas propriedades e resolver as desapropriações rapidamente. Conte com a nossa entidade e com a de Praia Grande”, declarou Adelor, que foi respaldado pelo presidente da Cooperja, Vanir Zanatta.

“Hoje saímos satisfeitos com a sua vinda e seguros do que nos foi passado, sabemos que não é uma obra fácil e que levará um tempo para iniciar, mas vocês nos passaram confiança de que ela será realizada e ajudará em muito no escoamento da produção e desenvolvimento econômico”, falou Zanatta.

Estamos apresentando o projeto, que está revisado e pronto para ser encaminhado à licitação. Será um aparato de segurança para atender as necessidades do município. Os serviços remanescentes que não foram executados no contrato original serão implementados neste novo projeto, executado no prazo máximo de um ano, disse Beto.

Desafogar o tráfego da BR-101

O engenheiro da Fiesc, Ricardo Saporiti, que fez o estudo da rodovia destacou que além dela desafogar o trânsito da BR-101, uma vez que ela inicia na divisa com o Paraná a vem até o extremo Sul, a SC-108 é primordial para a logística da região que têm potencial turístico, tem produção e arrecadação que comprovam e abonam o estado a executar a obra. “Somente o setor agrícola da Jacinto Machado e Praia Grande, gera um PIB de R$ 429 milhões, uma arrecadação de ICMS de R$ 12,3 milhões e Tributos Federais R$ 54 milhões. Só estes números já justificam a realização da pavimentação”, informou Saporiti.

Sabemos das dificuldades financeiras momentâneas do estado, mas é uma obra viável, que corta o Estado, e apenas alguns trechos não estão pavimentados. Fácil não vai ser, mas com união de forças vamos tirá-la do papel”, finalizou Zé Miton.

Manutenção da rodovia

Uma das reivindicações da comunidade é a manutenção da rodovia. “Enquanto a pavimentação não sai queremos que vocês assumam o compromisso com a comunidade de realizar o patrolamento e manutenção da rodovia constantemente”, cobrou o agricultor Fabiano Amorim. Compromisso este garantido pelo secretário ao falar do Programa Recuperar do Estado. “Estamos assinando o Programa com a Amesc e com isto, vamos ter a garantia da constante manutenção desta estrada”, declarou Hassler.

Estavam presentes no encontro o prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel, vice-prefeitos, vereadores de São João do Sul, Praia Grande e Jacinto Machado, agricultores e presidentes de entidades e cooperativas.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.