Operação Saldo Negativo foi realizada em Criciúma

Nesta manhã, joias e relógios foram apreendidos na casa de um dos investigados

Fotos: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma/Florianópolis

Com o objetivo de desfazer um grupo criminoso especializado em fraudar declarações de tributos federais através de compensação de créditos falsos, a Receita Federal juntamente com a Polícia Federal realizaram na manhã desta terça feira, dia 5, em Criciúma e em outros municípios do estado, a Operação Saldo Negativo.

- PUBLICIDADE -

Em Criciúma, foi apreendida uma grande quantidade de bens na casa de um dos investigados na fraude. O valor total da apreensão não foi divulgado pela Polícia Federal até o momento.
A fraude envolveu mais de 3.500 empresas distribuídas por quase 600 municípios de todo o país. Os contribuintes que se utilizaram dos falsos créditos terão suas dívidas reativadas e ainda estão sujeitos à auto de infração com multas de até 225% sobre o débito compensado. As empresas lesadas de boa-fé poderão buscar reparação dos danos na esfera judicial contra os fraudadores.

Fotos: Divulgação

Entenda a Operação Saldo Negativo

As investigações se aprofundaram a partir de auditorias realizadas pela Receita Federal, que identificou “empresas de consultoria tributária” que apresentavam declarações de créditos e débitos (DCTFs), de compensações (PER/Dcomp), de Simples Nacional (PGDAS) e também previdenciárias (GFIP) com créditos fictícios ou de terceiros (também chamados de falsos créditos).

Desde então, as fiscalizações tributárias e a investigação criminal vêm sendo realizadas em paralelo. Na medida em que os auditores-fiscais identificavam novos atores e novos fatos, encaminhavam representações complementares para subsidiar o trabalho de persecução penal. Com a devida autorização judicial, as informações da base de dados da Receita Federal foram compartilhadas com a Polícia Federal e com o Ministério Público Federal em diversos momentos da investigação.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.