Maracajá: monitoramento eletrônico começa a operar em outubro

A empresa vencedora da concorrência pública tem 30 dias para implantar torres para difusão das imagens e outros 60 dias para instalação das 20 câmeras e interligar o sistema com imagens de alta definição

- PUBLICIDADE -

Apesar do contrato prever a conclusão em 90 dias, o sistema de monitoramento eletrônico , inicialmente, em 20 pontos estratégico de Maracajá será ativado em cerca de 60 dias, devendo começar a operar no decorrer do mês de outubro. A informação foi prestada pelo empresário Felipe Machado, diretor da empresa Setup Automação e Segurança, de Criciúma, vencedora de concorrência pública, ao assinar o contrato para prestação do serviço, na manhã desta sexta-feira (9).

O ato de assinatura do contrato, no Gabinete do Prefeito Arlindo Rocha, contou com a presença do comando do 19º Batalhão de Polícia Militar, representação da Delegacia Regional de Polícia, secretários e diretores da administração municipal, vereadores, comerciantes e bancários. Arlindo lembrou que este é um processo inspirado na realidade de 2016, quando a cidade registrava, praticamente, assaltos diários e o sentimento geral era de insegurança. O quadro que se reverteu com a atuação da Polícia Militar em conjunto com a comunidade.

- PUBLICIDADE -

“O trabalho que a Polícia Militar realiza em Maracajá é exemplar, merece nosso reconhecimento e todos os esforços para contribuir para que tenha todas as condições de realizar seu trabalho”, disse o prefeito ao comandante do 19º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel Maike Valgas, acompanhado do comandante da 1ª Cia do 19º, capitão Diego Schwartz e do sargento Igor Pimentel, comandante da PM no município.

Valgas enfatizou que a redução do índice de criminalidade em Maracajá é resultado de trabalho em equipe da PM e do envolvimento da sociedade civil organizada de Maracajá, por meio de seus segmentos. Proprietário da única lotérica da cidade, o empresário Ricardo Ximenes se colocou a disposição para contribuir com o processo de monitoramento. Ele está qualificando seu próprio sistema, que poderá ser incluído ao monitoramento municipal e investimento em mais segurança para funcionários e clientes.

A empresa vencedora da concorrência pública tem 30 dias para implantar torres para difusão das imagens e outros 60 dias para instalação das 20 câmeras e interligar o sistema com imagens de alta definição, que segundo Felipe Machado, terá condições de contribuir em ações policiais de prevenção e esclarecimentos de crimes, identificando pessoas e veículos. “Vamos concluir os trabalhos em cerca de 60 dias, antes do prazo estipulado no contrato”, reafirmou. O investimento da administração municipal, com recursos próprios, é de R$ 197 mil.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.