Investir na produção agrícola favorece crescimento econômico de Meleiro

Ao longo de 58 anos, desde a sua origem, o município busca investir em melhores condições de trabalho aos produtores rurais

Foto: Arquivo
- PUBLICIDADE -

Geórgia Gava/Especial
Meleiro

Situado entre o litoral e o planalto serrano, o município de Meleiro completa hoje, 58 anos de história e guarda em suas memórias, a tradição dos imigrantes italianos, que se dedicavam ao trabalho agrícola e à pecuária, que hoje ainda é a principal fonte de economia do município.

- PUBLICIDADE -

Através da Lei nº 348, a autonomia política do município de Meleiro foi conquistada em 27 de novembro de 1961. O nome da cidade é proveniente dos primeiros exploradores que encontraram na localidade, uma grande quantidade de abelhas, e com elas, o mel. Com o tempo os insetos acabaram sumindo, mas o nome permanece ligado às atividades agrícolas do município.

Com mais de sete mil habitantes em uma área de 186,439 km², o município se destaca na produção de arroz, milho, fumo e entre outras culturas. “Meleiro tem a sua desenvoltura própria vinda da agricultura, que hoje é a nossa principal fonte de economia. A monocultura do arroz tem exigido nos últimos anos, muito mais dos agricultores, temos que plantar muito mais para sobreviver, e o nosso povo tem atendido a essa expectativa”, ressalta o prefeito de Meleiro, Eder Mattos.

De acordo com o secretário de Agricultura do município, Anderson Scardueli, o município depende da agricultura e contribuir com os produtores é fundamental. “Nós contamos com uma patrulha mecanizada na agricultura, dividida em seis associações em que a prefeitura doou para cada uma, uma ensiladeira, uma espalhadeira de esterco e uma plantadeira, esses investimentos os agricultores ganharam da prefeitura, agora eles mesmos passar a realizar as manutenções”, completa.

Na Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (Amesc), Meleiro é destaque na produção de leite. “Além da produção de arroz, fumo e feijão, hoje temos muito investimento grande em aviários no municipio e do gado leiteiro, onde Meleiro é o maior produtor entre os municípios da Amesc”, acrescenta Scardueli.

Além disso, a prefeitura dispõe de maquinários como dois tratores, grade, arado, tombo, subsolador e duas retroescavadeiras. “Estamos fazendo seis aterros grandes para escoar a agricultura e produção, em pontos que passam pelo Jacaré, Barra do Cedro, Sapiranga e chegam ao município de Araranguá, próximo à BR-101. Também buscamos manter as estradas rurais de pedra”, finaliza Scardueli.

População é fundamental para crescimento

Com inúmeras realizações nas áreas de infraestrutura, saúde e educação, a Administração Municipal dedica as conquistas à evolução dos moradores. “Eu atribuo a responsabilidade do desenvolvimento ao nosso povo, por estar se conduzindo, como uma comunidade acima da média da região, eu entendo que Meleiro evoluiu muito comparado a outros municípios. Nós nos sobressaímos pela receita própria, vemos a nossa renda per capita alta em comparação aos municípios pequenos do sul do estado e isso representa algo positivo para o desenvolvimento”, completa o prefeito.

Impulso para a economia

Sendo a única usina de asfalto em um município com menos de oito mil habitantes em todo o Brasil e em operação desde 2017, a Usina de Asfalto Concreto Betuminado Usinado a Quente, foi um marco para a administração atual de Meleiro. “O que deu notoriedade e destaque para nossa administração foi a aquisição da uma usina de asfalto. Meleiro tem hoje, uma demanda de 75 quilômetros de estrada que necessitam de asfalto, já entregamos 15 quilômetros. E a expectativa para ano que vem, é fechar em 25 quilômetros entregues de asfalto”, comenta o prefeito.

Ainda segundo Mattos, em cerca de sete anos, se o ritmo continuar o mesmo, o município inteiro estará asfaltado. “Se fosse uma obra estadual, o investimento seria de 12 a 15 milhões, e como fomos nós que fizemos, o valor gasto foi entre três e quatro milhões. Valores que afetam a economia”, finaliza.

O equipamento foi adquirido através de um financiamento realizado com a Agência de Fomento de Santa Catarina S.A. (Badesc), com um valor de R$ 1,4 milhão.

Mais informações sobre Meleiro podem ser conferidas na edição desta quarta-feira do TN.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.