Içara: Capela Santo Antônio é reinaugurada na Linha Anta

Cerimônia contou com a presença da comunidade e autoridades locais.

- PUBLICIDADE -

Içara

A Capela Santo Antônio, localizada na comunidade de Linha Anta, foi reinaugurada em Içara nesta sexta-feira, dia 29. Isso porque a igrejinha passou por restauração em 2019. O trabalho em conjunto contou com apoio de integrantes da comunidade, construtora e prefeitura de Içara. O material necessário para a realização do serviço foi providenciado pelos moradores e empresários locais. Já a mão de obra foi, por intermédio da prefeitura de Içara, concedida pela Construtora Locks.

- PUBLICIDADE -

De acordo com uma moradora que faz parte da liderança comunitária do bairro, Maria Bortolini, o local servirá para realização de cerimônias religiosas (capela mortuária), além de ser um espaço cultural. “Foram muitas semanas de trabalho e reuniões do Conselho de Assuntos Econômicos Paroquiais (Caep) para que esse desejo da comunidade fosse realizado. Famílias e empresários colaboraram conosco e agora podemos contar com a conclusão da restauração”, declarou. Atualmente, a Capela pertence à Paróquia de Morro da Fumaça

Maria Bortolini agradeceu a todos que contribuíram de alguma maneira para que essa restauração fosse realizada “Estamos aqui graças à comunidade e equipe do Caep, que tornou isso possível”, lembra.

A igreja foi pintada de branco e azul. A presidente da Fundação Cultural de Içara, Maria Teresa Chagas, ressaltou a importância histórico-cultural que a construção apresenta. “Parabenizo a comunidade pela iniciativa e pelo carinho de todos com todo esse lindo trabalho realizado. Que sirva de exemplo a outras pessoas”, ressaltou.

A capela conta com o estilo barroco, que é o estilo artístico que floresceu entre o final do século 16 e meados do século 18, inicialmente na Itália, difundindo-se em seguida pelos países católicos da Europa e da América. O vice-prefeito de Içara, Sandro Serafin destacou as gerações que estiveram envolvidas ao longo de mais de um século. “Quando a comunidade se une para preservar, o resultado é maravilhoso. Quanta memória, quantas missas, quantas lembranças, quantos pais, avós e bisavós passaram por aqui. Preservar e valorizar a nossa história é fundamental”, conta.

O prefeito de Içara, Murialdo Canto Gastaldon justificou a ausência de dinheiro público na realização da obra. “Existe uma legislação que proíbe o uso de dinheiro público em obras que não sejam de propriedade pública. Dessa forma, realizamos essa parceria com a construtora e é muito gratificante ver o resultado dessa restauração. Muitas pessoas me cobravam e se preocupavam ao ver a igrejinha se deteriorando”, lembra.

A Capela Santo Antônio é uma das mais antigas obras arquitetônicas da região sul. De acordo com a coordenadora do Caep, Clélia Magagnin a igreja tem capacidade para comportar 50 pessoas. “Continuará como patrimônio histórico de Içara, mas será utilizada para realização de catequeses e outras atividades e cerimônias religiosas”, explica Clélia.

 

Lembranças históricas

O tesoureiro do Caep, Osmar Dimas Santos conta que em 1904, as famílias Ghedin e Frasson chegaram nessa localidade e construíram a capela. “Desde a colonização, essa é a terceira capela construída. As famílias italianas trouxeram imagem de Santo Antônio e realizavam sacramentos e demais celebrações aqui”, explica. Santo Antônio é o padroeiro da comunidade. À época, a construção pertencia à Diocese de Florianópolis. Atualmente, pertence à Diocese de Criciúma.

Em 1984, a igreja foi tombada como patrimônio histórico pela Prefeitura de Içara. Em 2001, recebeu restauração. “Em 2018, fechou as portas e caiu no abandono. Mas hoje está aberta para todo o uso cultural e também capela mortuária. Essa igreja de estilo barroco retrata a história para as futuras gerações”, declarou Osmar Dimas Santos, tesoureiro do Caep.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.