Ficou para o mês de novembro

Foto: Lucas Colombo/Tribuna de Notícias
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Maracajá

- PUBLICIDADE -

No dia 9 de agosto deste ano, a Prefeitura de Maracajá assinou contrato com a empresa Setup Automação e Segurança, de Criciúma para a instalação 20 câmeras de monitoramento na cidade. Mesmo com prazo previsto em licitação de 90 dias para os equipamentos entrarem em funcionamento, a expectativa do município era que o sistema estivesse pronto neste mês de outubro, ou seja, em 60 dias. Mas a conclusão dos trabalhos deve ficar mesmo para novembro.

Acontece que para a instalação das câmeras a prefeitura precisa de liberações da Casan e Celesc. “A Casan ocupa um prédio do município aqui em Maracajá, na Vila Beatriz. Lá tem um reservatório deles com uma altura essencial para instalar uma torre de repetição de sinal. Mas este problema está mais fácil de ser resolvido”, analisou Arlindo Rocha, prefeito de Maracajá.

A situação que deve levar mais tempo para ser finalizada está relacionada à liberação da Celesc. É que as câmeras de segurança serão instaladas em postes de energia. “Temos aqui locais que são de distribuição da Coopera, da Cersul e da Celesc. Com as cooperativas já resolvemos, agora precisamos da autorização da Celesc. Serão 19 câmeras colocadas nos postes deles”, detalhou Rocha.

Minuta de contrato sendo preparada

O gerente técnico do Núcleo Sul da Celesc de Orleans a Passo de Torres, Zulnei Casagrande, aponta que as documentações para a liberação vêm sendo preparadas. “A minuta de contrato de compartilhamento de postes está sendo elaborada na administração central. Assim que a gente receber, vamos apresentar para a prefeitura”, destacou Casagrande.

Conforme o gerente, neste contrato estão estabelecidas regras que a prefeitura precisará cumprir para utilizar a estrutura da Celesc. “Isso é regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e cabe a nós efetuar o contrato. Neste acordo estão questões de segurança e responsabilidades que precisam ser obedecidas pelo usuário. Um dos quesitos, por exemplo, é que a empresa que instalará os equipamentos precisa estar homologada e contar com profissionais capacitados para realizar a instalação e manutenções”, frisou.

Diminuição da criminalidade

De acordo com Arlindo Rocha, a instalação das câmeras é mais um passo para a diminuição da criminalidade na cidade. “Em 2016 chegávamos a ter dez ocorrências registradas por semana pela Polícia Militar. Hoje este número é de uma ou duas. Mesmo com essa redução que já é bastante importante, as câmeras foram um compromisso nosso e vamos cumprir”, projetou.

Ele acredita que as situações serão resolvidas em breve. “O estado tem nos atendido bem, então creio que vamos conseguir vencer essas etapas e instalar os equipamentos. É mais um reforço para o trabalho excelente que realiza a Polícia Militar e Polícia Civil da nossa cidade e que têm sido nossos parceiros”, enfatizou.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.