Estelionatário é preso em Criciúma

Homem fingia alugar imóveis na região e sumia após cobrar parte do pagamento

Foto: Divulgação/Polícia Civil
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Um homem, de 30 anos, foi preso em uma operação da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Criciúma na tarde de ontem. A prisão ocorreu em decorrência de um cumprimento de mandado de prisão preventiva por conta de o suspeito estar praticando crimes de estelionato na região. Ele fingia ser um locador de imóveis e sumia após receber parte do pagamento.

As investigações foram coordenadas pelo delegado titular da 2ª DP, Ari José Soto Riva. Segundo a autoridade policial, o homem agia por meio de um aplicativo de mensagens.

“Ele anunciava imóveis para alugar no WhatsApp. Quando alguém demonstrava interesse, ele marcava com a pessoal, cobrava uma parcela do aluguel e levava a vítima até a residência. Lá ele indicava para o locatário qual era a casa ou apartamento, entregava a chave e quando a pessoa ia lá, não conseguia abrir e o estelionatário fugia”, detalhou o delegado.

O suspeito acabou sendo detido em uma casa no bairro Pinheirinho. No local, os policiais também encontraram uma sacola com chaves que eram utilizadas por ele para praticar o crime e também um celular.

Agindo durante as investigações

De acordo com Riva havia contra o homem pelo menos quatro procedimentos instaurados nas delegacias de Criciúma, Içara e Balneário Rincão, cidades onde o suspeito também teria efetuado os golpes. O detido já chegou a ser preso em outra oportunidade pela prática de furto.

“Mesmo sabendo de todas essas investigações contra a pessoa dele, ele continuava agindo. Acreditamos que só ele estaria envolvido nesses crimes que foram registrados. Inclusive, em alguns casos, ele chegou a utilizar o nome de um irmão dele, que também está preso”, frisou o delegado. O homem foi encaminhado ao Presídio Regional de Criciúma.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.