Dia Municipal da Sukyo Mahikari é incluso no calendário de Criciúma

Lei de número 7.565 foi sancionada na tarde desta sexta-feira (8) pelo prefeito Clésio Salvaro

- PUBLICIDADE -

O dia 27 de fevereiro passa a ser comemorado como o Dia Municipal da Sukyo Mahikari. Como forma de homenagem à instituição, que vem crescendo na cidade, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro sancionou a Lei de número 7.565 de 1º de novembro de 2019. A cerimônia ocorreu na tarde desta sexta-feira (8), na Sala de Atos, no Paço Municipal Marcos Rovaris.

“Com a burocracia do serviço público acabamos muitas vezes deixando distanciar nosso lado espiritual. Trabalhar o bem em sociedade sempre reverte em mais coisas boas”, destacou o prefeito Clésio Salvaro. Para ele o terceiro setor, com os trabalhos voluntários, auxilia substancialmente o poder público. “Que os exemplos bons sejam seguidos”, concluiu.

- PUBLICIDADE -

A Sukyo Mahikari é uma instituição espiritualista espalhada em mais de 120 países do mundo. Criciúma foi o primeiro município do estado a ter uma sede da instituição e também foi na cidade que a Sukio Mahikari participou de um desfile cívico de 7 de setembro. Nela, existem grupos que se reúnem em hospitais, realizando imposição de mãos e prestando apoio emocional e espiritual aos enfermos e seus familiares. Além disso, realizam mutirões de limpeza em praças e praias, de forma voluntária.

O Projeto de Lei é de autoria do suplente de vereador, Marcos André Meller. “Essa é uma das entidades que auxiliam o município. Acompanhar a sanção dessa Lei é um motivo de felicidade, pois estamos motivando a continuidade dos trabalhos e reconhecendo a importância da instituição”, comemorou.

Em Criciúma, a sede da instituição fica na Rua João Milioli, número 37, no bairro Comerciário. “Esse reconhecimento por parte das autoridades é de extrema importância e simboliza um grande presente para nós”, disse o dirigente da Sukyo Mahikari de Criciúma, Arlei Duarte.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.