Cooperaliança busca evitar aumento da energia elétrica

Cooperativa de Içara questionou Aneel e receberá a resposta hoje, em reunião pública que acontecerá em Brasília

Arquivo/DN
- PUBLICIDADE -

Içara

Direção da Cooperativa Aliança (Cooperaliança), de Içara, participa nesta manhã de reunião pública na sede da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com a expectativa de receber parecer favorável quanto à reversão do reajuste do valor da fatura de energia elétrica, que segundo a Aneel, seria de 26,6%. Por meio de ofício, a cooperativa questionou a agência e hoje receberá a notícia se os seus questionamentos foram acatados ou não.

- PUBLICIDADE -

O técnico comercial, Mateus Búrigo Dalmolin, explica que a Lei 13.370, da própria Aneel, diz que cooperativas permissionárias, como é o caso da içarense, caso tenho reajuste maior que 10%, não pode perder o desconto que tem na compra. “Caso o reajuste for menor, ela vai perdendo desconto na compra até chegar ao limite de 10%, que é o impacto a ser sentido pelos consumidores. A Aneel estava fazendo um cálculo adverso à lei, então a Cooperaliança estava tendo uma perda grande na compra e o aumento era de 26,6%. Então a Aneel não estava seguindo o próprio procedimento que ela desenvolveu”, comenta.

Com isso, baseada na lei, a Cooperaliança questionou a Aneel. “Nos baseamos na lei e no procedimento, fizemos uma defesa mostrando que os cálculos estão incorretos”, conclui
O presidente da Cooperativa Aliança, Reginaldo de Jesus, o Dedê, demonstra otimismo na reversão da situação. “Acredito no parecer favorável da Aneel. Estamos lutando para que o nosso consumidor sinta o menos possível na sua tarifa de energia. Com a aprovação da agência pelo documento que encaminhamos, continuaremos sendo a concessionária de energia elétrica mais barata do Brasil. Desta forma, continuaremos entregando energia e qualidade e com preço justo aos nossos quase 40 mil consumidores”, cita o presidente, acrescentando que Cooperaliança estuda a compra de energia em leilão em breve, para assim, baratear ainda mais o custo ao consumidor.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.