Comandante contesta Ipea

Instituto divulgou Atlas da Violência 2019 e Criciúma ficou fora das 20 cidades mais seguras do Brasil, contrariando projeção feita por Cosme Manique Barreto

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Lucas Renan Domingos

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Nesta semana, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgou o Atlas da Violência de 2019, apontando as 20 cidades mais e menos violentas do Brasil, com mais de 100 mil habitantes. Os dados levam em consideração informações oficiais de 310 cidades no ano de 2017. Em Santa Catarina, Criciúma ficou como a quinta cidade mais segura, o que não deixou o município no ranking das 20 mais seguras, que era a projeção do comandante da 6ª Região de Polícia Militar (6ª RPM), coronel Cosme Manique Barreto.

A explicação está na diferença dos números apresentados pelo Ipea com os computados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Santa Catarina, o que foi constatado pelo comandante. “O que é preconizado pela ONU (Organização das Nações Unidas) é dez homicídios para cada 100 mil habitantes. Conforme os dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado, em 2017, em Criciúma foram 17 homicídios. Pelo Ipea, tivemos 24”, disse Barreto.

O desequilíbrio entre as informações, aponta o coronel, se deve aos tipos de morte que são considerados pelo instituto de pesquisa. “Pelo o que eu estava estudando, o Ipea classificou mortes violentas com causas indeterminadas. Então, no estudo pode ter entrado para nós casos como suicídio, acidentes, que são casos difícil da polícia prevenir. Como a pesquisa é sobre segurança pública, acho que não deveria contar. Suicídio, por exemplo, é caso de saúde pública”, reforçou.

Ainda são dados para comemorar

Conforme levantado pelo Ipea, Criciúma apareceu no Atlas da Violência de 2019 com uma média de 11,3 homicídios por cada 100 mil habitantes. “Ainda assim é um feito a se comemorar. Em 2016 chegamos a ser a cidade com mais mortes de Santa Catarina. Esse dado nos deixa apenas uma morte acima do preconizado pela ONU e também viramos a quinta cidade mais segura da Santa Catarina e com números estáveis desde então”, afirmou o coronel.

No Estado, Jaraguá do Sul, Brusque e Tubarão, com médias de 5,5; 5,8 e 8,1, respectivamente. “Se fosse computado os 17 apontados pela SSP, Criciúma, com certeza, faria parte deste grupo. Subiria tanto na classificação nacional quanto na estadual, podendo superar até mesmo Tubarão”, acrescentou.

Cidades catarinenses mais pacíficas
Classificação Cidade População Taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes
1 Brusque 128.818 5,8
2 Jaraguá do Sul 170.835 5,5
3 Tubarão 104.407 8,1
4 Lages 158.508 8,8
5 Criciúma 211.396 11,3
6 Balneário Camboriú 135.268 14
7 Blumenau 348.513 14,1
8 Chapecó 213.279 18
9 São José 239.718 19,6
10 Joinville 577.077 22,4
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.