Criciúma decreta emergência como forma de prevenção

O desígnio tem caráter burocrático, para que, caso venha a faltar combustível ou insumos para as necessidades básicas, Criciúma tenha prioridade de abastecimento

Foto: Divulgação/Decom

- PUBLICIDADE -

Matheus Reis

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O prefeito de Criciúma Clésio Salvaro (PSDB) decretou situação de emergência no município. No entanto, a população não precisa entrar em alerta. O desígnio tem caráter burocrático, para que, caso venha a faltar combustível para as necessidades básicas, Criciúma tenha prioridade de abastecimento. A decisão foi tomada em reunião no Paço Municipal Marcos Rovaris, neste domingo, 27, com secretários municipais e vereadores.

Para amenizar os impactos do movimento dos caminhoneiros, a Administração Municipal vem planejando estratégias desde a semana passada. Na última terça-feira, todos os serviços realizados com máquinas pesadas no município foram paralisados, a fim de racionalizar o uso de combustível, permanecendo apenas o transporte de pacientes, estudantes e serviços essenciais.

Já na última quinta-feira foi definida a tabela provisória de horários de ônibus, reduzindo o transporte coletivo para prolongar o atendimento à população. Além dessas medidas, a Prefeitura Municipal estuda transferir o óleo diesel das máquinas paradas para veículos da área da saúde e da educação. Para a semana que inicia, as aulas estão mantidas e a Secretaria de Educação trabalha para remanejar o gás de cozinha e manter a alimentação integral dos alunos.

Na saúde, o estoque de medicamentos é suficiente para atender normalmente a demanda pelos próximos 10 dias. Além disso, a Secretaria de Saúde de Criciúma não tem encontrado dificuldades em receber carregamentos de oxigênio e materiais essenciais no atendimento e tratamento de pacientes. Quanto ao transporte público, a Administração Municipal vai monitorar diariamente o estoque de combustível.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.