Primeira advogada de Criciúma é homenageada

Ação realizada pelo curso de Direito da Unesc reconheceu o trabalho e dedicação de Genésia Minatto Brandão, que foi a única mulher a advogar na cidade, entre mais de 230 homens, até 1969

Foto: Divulgação/Leonardo Ferreira
- PUBLICIDADE -

Criciúma

“Os amigos do meu pai, quando sabiam da novidade, contrariavam, dizendo que lugar da mulher é limpando a casa e na cozinha. Mas fui assim mesmo”. Esta foi apenas uma das dificuldades que Genésia Minatto Brandão, a primeira advogada mulher de Criciúma, teve que superar em busca de seu sonho. Na tarde desta quarta-feira, 7, após 61 anos de dedicação às mulheres e com 88 anos de idade, ela recebeu uma homenagem da Unesc. O curso de Direito da universidade entregou a ela uma honraria para celebrar o Dia Internacional da Mulher.

- PUBLICIDADE -

Em agosto de 1956, Genésia realizou sua inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Antes dela, em Criciúma, haviam 232 registros, todos de homens. Apenas 13 anos depois, em 1969, outra mulher conquistou o mesmo espaço que a homenageada.

Segundo a professora do curso Sheila Martignago Saleh, que organizou a homenagem, a advogada é um símbolo da luta feminina e representa todas as mulheres da carreira jurídica. “O ato é engrandecido pelos preconceitos da época, que desvalorizavam as mulheres no mercado de trabalho. Por isso, ela advogou muito pouco, então passou a buscar auxiliar mulheres em suas lutas”, conta.

Genésia, ao recordar os dias que decidiu iniciar os estudos, reafirma as dificuldades encontradas. “Além do preconceito, foram três dias de barco para chegar em Porto Alegre, nem estrada tínhamos como hoje. Mas eu queria muito e nenhuma dificuldade ou diferença me impediu. Na minha turma de formatura, por exemplo, fomos sete mulheres, contra mais de 50 homens”, destaca. Ela se formou na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS).

A homenageada recebeu uma carta de reconhecimento e uma orquídea da universidade. “É uma alegria estar conhecendo e homenageando este exemplo de mulher. Que sirva como espelho às próximas gerações que estão chegando”, aconselha o coordenador do curso de Direito, João Carlos Medeiros Rodrigues Júnior.

O primeiro caso

Com uma vida de luta pelas mulheres, seu primeiro trabalho não foi diferente. Em tempos de machismo, a advogada venceu seu primeiro caso, de reconhecimento paterno, sem acesso a exames de DNA ou qualquer outro auxílio do gênero. “A cliente me procurou grávida e eu também estava grávida. A ajudei com todas minhas forças, com muito amor e carinho. Garantimos que aquela mãe tivesse sua ajuda na criação do bebê”, conta Genésia.

Às mulheres

Após contar sua história, Genésia ainda deixou um recado às mulheres. “Falo todo os dias para minhas netas. Eu não desisti e elas também não devem. A mulher tem que ter coragem, estudar e ser independente, conquistar seu espaço”, aconselha.

Também estiveram presentes na solenidade a coordenadora adjunta do curso de Direito, Márcia Andréia Schutz Lírio Piazza, e a secretária do Centro Acadêmico do curso, Claudia Schneider. A homenagem ocorreu em parceria com a Comissão da Mulher Advogada da OAB de Criciúma.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.