Imbituba: Sobrevoo encerra temporada de avistagens de baleias-francas

Ação do Programa de Monitoramento de Cetáceos da SCPar Porto de Imbituba será realizada nesta segunda-feira, 5, no litoral Sul de Santa Catarina, para um novo censo aéreo de registro e identificação de animais

Foto: Divulgação/SCPar Porto de Imbituba

- PUBLICIDADE -

Imbituba

A SCPar Porto de Imbituba realiza nesta segunda-feira, 5, o último sobrevoo de monitoramento das baleias-francas da temporada 2018 de avistagens em Santa Catarina. O censo aéreo será realizado entre Florianópolis e Balneário Rincão, que compreende a Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, estendendo-se até Torres. O trabalho integra o Programa de Monitoramento de Cetáceos do porto e envolve pesquisadores do Instituto Australis/Projeto Baleia Franca e da empresa Acquaplan Tecnologia e Consultoria Ambiental.

- PUBLICIDADE -

Três pesquisadores participam da amostragem, sendo dois observadores e um fotógrafo. O objetivo é realizar a contagem dos indivíduos, verificar sua distribuição espacial e fotografá-los para posterior identificação. “O monitoramento aéreo é de suma importância para o programa pois permite o acompanhamento da ocupação da espécie em toda a APA da Baleia Franca, possibilitando avaliar a eficácia das ações de conservação da espécie já aplicadas e desenvolver novas medidas para monitorar e acompanhar o desenvolvimento da espécie”, explica o gerente de saúde, segurança e meio ambiente da SCPar Porto de Imbituba, Robson Busnardo.

Neste ano, quando a SCPar Porto de Imbituba completou dez anos de monitoramento, um recorde de avistagens foi registrado. Em setembro, durante o segundo sobrevoo, foram observadas 284 baleias-francas. Em julho, no primeiro sobrevoo da temporada, foram avistadas 36 baleias. A maior concentração tem sido nas enseadas de Garopaba, Imbituba e Laguna.

A expectativa da equipe é que a quantidade de baleias avistadas em novembro seja menor que os dois sobrevoos anteriores. Isso se deve ao fato de que os animais já estão retornando às áreas de alimentação nas regiões da Antártica, onde permanecem durante o resto do ano.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Imbituba

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.