- PUBLICIDADE -

Criciúma

Estima-se que mais de 140 milhões de brasileiros sofram com um incômodo que atinge a crianças, adultos e idosos: a dor de cabeça. De acordo com a Sociedade Brasileira de cefaleia (SBCe), quatro a cada 10 pessoas possuem cefaleia do tipo tensional e quase duas a cada 10 sofrem de enxaqueca. Nesse sentido, a Sociedade criou o Dia Nacional de Combate à Cefaleia – 19 de maio, com o intuito de divulgar e conscientizar a população a respeito do tema.

- PUBLICIDADE -

A cefaleia é classificada como toda e qualquer dor de cabeça, independente da sua causa. Segundo a classificação Internacional de Cefaleias, existem mais de 150 tipos de dor de cabeça. A médica neurologista, Gioconda Seabra E. Mendes, explica que as dores de cabeça chamadas primárias são aquelas que a própria dor é a doença, podem ser muito debilitantes, embora a maioria delas não ofereça nenhum risco à vida dos portadores. Os tipos mais comuns são: enxaqueca, cefaleia do tipo tensional, cefaleia em salvas e cefaleia crônica diária.

Já as dores de cabeça secundárias são causadas por outras doenças, sendo as mais comuns: acidente vascular cerebral, tumores de sistema nervoso central, trombose venosa cerebral, ruptura de aneurisma, aumento da pressão intracraniana, e doenças infecciosas. “Toda e qualquer dor de cabeça deve ser avaliada por um neurologista, pois, independente de sua causa, pode se tratar de uma doença propriamente dita”, ressalta a especialista.

A médica reforça ainda que muitas pessoas não reconhecem a enxaqueca como sendo uma doença e quando procuram um especialista já estão com a dor diária que, inclusive, é uma das causadas para que a enxaqueca se torne crônica. Segundo a especialista, os sinais de alerta para causas secundárias, como por exemplo, um tumor cerebral são idade acima dos 40 anos e que não apresentava dor prévia, sexo masculino, febre, presença de outras alterações neurológicas e convulsões.

A médica conclui ao ressaltar que “fatores como excesso de consumo de gorduras, doces, chocolate, café, bebida alcoólica, maus hábitos de sono, estresse e ansiedade são fatores que pioram a enxaqueca”, pontua.

As dores de cabeça mais comuns são:

Enxaqueca: dor pulsátil, de forte intensidade, que pode ser acompanhada de náuseas e vômitos ou intolerância à luz ou ao som, com crises que podem durar de 4 a 72 horas;

– Cefaleia do tipo Tensional: tipo mais frequente do mundo, caracterizada por dor bilateral ou na parte da frente ou atrás da cabeça, de moderada intensidade, que não piora com esforço;

Cefaleia em Salvas: é um tipo de dor intensa, unilateral, que dura de 15 minutos a 3 horas, geralmente as crises ocorrem no mesmo horário (maioria de madrugada) por vários dias seguidos. A dor é acompanhada de lacrimejamento e corrimento nasal no mesmo lado da dor.

Cefaleia Crônica diária: é uma situação caracterizada por dores de cabeça em pelo menos 15 dias ao mês. Ela é uma evolução das outras formas de dor de cabeça, que aumentam de frequência gradativamente por uso exagerado de analgésicos para dor.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.