- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com uma demora maior que a habitual, a entrevista coletiva mostrou Grizzo chateado e lamentando o resultado do jogo de ontem.“Estamos muito tristes com a eliminação, ninguém fica contente com a derrota dessa maneira, e a gente, pelo menos tentou a vitória. Tudo o que a gente pôde fazer, fez. Tentamos de tudo. Vamos continuar trabalhando, falando menos e fazendo mais para tirar o time desta situação”, explicou.

O comandante carvoeiro reafirmou que o time fez tudo o que foi possível. “Tivemos chances com o Élvis, Maranhão e Maílson. Fizemos tudo o que foi possível: colocamos Luiz Fernando, Carlos Eduardo… enfim, mas infelizmente o resultado não veio e a bola não entrou. Isso faz parte do futebol. Esse jogo para nós era uma decisão, o jogo da vida e nós estamos tristes como todo mundo”, disse.

O goleiro do Cianorte, João Gabriel, afirmou que estudou os cobradores do Tigre. Grizzo discorda. “Pênalti é uma questão de felicidade mesmo. Não querendo desmerecer: como ele iria estudar o Carlos se ele nunca bateu no profissional? Então, foi felicidade dele: foi no canto certo. O Carlos bateu sem olhar e isso acontece”, comentou.

O técnico do Criciúma pediu para que o torcedor não abandone o clube. “Eu sei que o momento é difícil para nós do Criciúma. Temos que ter equilíbrio em uma hora dessas e pedir para que o torcedor não abandone. A grande porcentagem da torcida é fanática e segura esse clube. Muitos estão chateados, mas sei que não vão abandonar. Nós também estamos chateados. As criticas são normais e quem não quiser recebê-las não pode trabalhar com futebol. A gente tem que assimilar isso e seguir em frente de cabeça erguida”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.