- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Com mais de 20 anos de carreira, o piloto Marco Aurélio Tocha nem pensa em parar de competir no bicicross (BMX – na sigla, em inglês). Integrante desde 2017 da categoria de 40 a 44 anos, o catarinense começa, neste final de semana, a disputa de dois campeonatos estaduais simultâneos: em Santa Catarina e Paraná. “Dia 10 estarei em Rio do Sul e no dia seguinte em Palotina. Vou fazer as duas etapas e estou defendendo o título em ambos os campeonatos. Vou encarar os 900km de distância de um dia para o outro”, comenta Tocha.

Entretanto, os campeonatos estaduais servirão apenas como “treinos de luxo” para o objetivo maior: a conquista do Pan-Americano de Bicicross, que será disputado em 22 de julho, na cidade de Medellín, na Colômbia. O local é o mesmo onde o piloto disputou o Mundial, em 2016. “Já conheço o local, sei o que eu errei naquela vez e o que eu preciso acertar para o Pan-Americano. Estou em uma categoria nova, mas já conheço o pessoal de lá. Fiz alguns contatos e já tenho onde ficar… então, está tudo conspirando a favor para eu ganhar o Pan”, comentou.

Tocha tem quatro medalhas do Pan-Americano: duas de prata e duas de bronze. Falta a mais sonhada.  “Eu quero o ouro pra ‘fechar a conta’. Escapou no ano passado. Eu fui para a Argentina e fiquei na quinta colocação. Estou ‘caçando’ esse título há tempos”, enfatizou, empolgado. “Eu sei que não vai ser fácil, pois tem vários colombianos da minha categoria que vão estar correndo em casa”, complementou.

A sequência com palestras

Além de piloto, Tocha se arrisca, há alguns anos, como palestrante. Ele marca presença em escolas contando a história de vida e a carreira esportiva como exemplo para as crianças. O projeto terá continuidade neste ano. “O Paraná tem interesse nas minhas palestras também. Eles querem organizar em algumas cidades quando eu estiver nas competições. Isso aumenta o interesse da gurizada no esporte”, explicou.

Tocha também está liderando a construção de uma escolinha de bicicross, em Palhoça. “Conseguimos terreno e a pista está ganhando forma: já tem rampa e 30 meninos andando. Por enquanto, a escolinha ainda não abriu, mas estamos trabalhando para organizar tudo com regras. Tem muito talento entre a gurizada, mas falta lapidar”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.