- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Londrina

- PUBLICIDADE -

Fotos: Gustavo Oliveira – Londrina EC

Ainda não foi no Paraná que o Criciúma conseguiu os três pontos que faltam para que a equipe escape de vez do “fantasma do rebaixamento”. A derrota por 4 a 2 sofrida para o Londrina, na noite desta terça-feira, faz com que o time precise de três pontos nas últimas três rodadas da Série B para fugir da Terceira Divisão em 2019. Sem a liderança do goleiro Luiz, Fábio Ferreira cometeu um erro crasso, logo no primeiro minuto de jogo, e Dagoberto abriu o placar. O Tricolor Carvoeiro se reequilibrou e chegou à igualdade ainda na primeira etapa com Liel. Entretanto, a pressão forte dos donos da casa, no segundo tempo, deu resultado: Felipe Marques marcou mais duas vezes e Dagoberto, outra vez, aumentou. O mesmo Liel, artilheiro do Tigre na Série B, com sete gols, ainda descontou, porém, de nada adiantou.

O time da casa começou pressionando o Tricolor Carvoeiro com marcação avançada. Logo no primeiro minuto, avassalador, o Londrina abriu o placar. Fábio Ferreira vacilou e perdeu a bola para Paulinho Moccelin, que tocou para Dagoberto no meio, ambos só tinham Sandro e Belliato pela frente. O camisa 10 devolveu para Paulinho e, na tabelinha, se posicionou na área, recebeu de volta e abriu o placar: 1 a 0. Logo após, o Criciúma tentou se estabilizar em campo, mas tinha dificuldade em criar jogadas. Logo aos 11 minutos, depois de muitas reclamações seguidas, o meia Élvis levou mais um cartão amarelo, despertando a ira do técnico Mazola Júnior. Aos 14 minutos, Jean Mangabeira deu um balão para Vítor Feijão, que ficou frente a frente com o goleiro Vagner, pela esquerda, mas o camisa 1 do Tubarão afastou com um tapa na bola no limite da grande área. O Criciúma assumiu o controle da partida, entretanto, não conseguia criar chances efetivas de gol.

Aos 19 minutos, Sávio entrou em velocidade, pela esquerda, e caiu na área em disputa com Eduardo. O Londrina pediu pênalti, mas o árbitro mandou o jogo seguir. Dois minutos depois, o time da casa tentou com Germano, de cabeça, mas a bola saiu pela linha de fundo. O Tigre seguia marcando forte e tentando chegar ao ataque, mas tinha dificuldade na criação das jogadas. O Londrina buscava ameaçar nos contra-ataques, mas não conseguia superar a marcação carvoeira. Aos 27 minutos, Felipe Marques fez grande jogada pela esquerda e cruzou, Dagoberto escorou e Lucas Renan chutou em cima da marcação. Na sobra, João Paulo também acertou a defesa do Criciúma.

Aos 33 minutos, Sávio e Paulinho Moccelin tabelaram na esquerdas. O camisa 6 cruzou para Dagoberto, mas Sandro se antecipou e afastou a possibilidade do segundo gol do time da casa. Aos 39 minutos, o Tigre igualou naquela que é a especialidade do time na Série B: a bola aérea. Élvis cobrou escanteio e Liel igualou. A bola ainda bateu na trave antes de entrar: 1 a 1. O Londrina respondeu dois minutos depois: Paulinho Moccelin fez jogada pela esquerda, dentro da área, e cruzou forte para Dagoberto, que desviou de cabeça, na pequena área, mas a bola subiu. “É a minha especialidade, treino muito para isso. O gol foi importante. Começamos devagar, mas depois recuperamos”, comentou o autor do gol do Criciúma.

Time da casa pressiona e toma à frente no placar

No segundo tempo, aos 3 minutos, Paulinho Moccelin fez boa jogada pela direita e tocou para Dagoberto que chutou cruzado e Belliato fez uma grande defesa. No rebote, Felipe Marques driblou dois e chutou em cima de Sandro. O jogador do time paranaense pediu pênalti, mas não levou. No minuto seguinte, o gol do Londrina: Higor Leite cruzou da direita e Felipe Marques, nas costas da zaga, completou para gol: 2 a 1. Aos 8 minutos, Eduardo apareceu bem pela direita e cruzou, mas Vagner colocou para escanteio. Aos 13 minutos, o Londrina ampliou: Paulinho Moccelin fez boa jogada pelo meio e lançou Lucas Ramon nas costas de Jean Mangabeira. Ele invadiu a área e cruzou para Felipe Marques completar para o gol aberto e fazer 3 a 1.

A partir daí, o Tricolor Carvoeiro perdeu totalmente as forças e não conseguia mais causar perigo ao gol do adversário. O Londrina se defendia bem e saia rápido em contra-ataques perigosos. Porém, aos 25 minutos, um sopro de criatividade no Tigre: Élvis dominou bem a bola na entrada da área e escorou para Marlon Freitas, que chutou colocado, no canto de Vagner, que fez boa defesa. Dois minutos depois, Fábio Ferreira falhou novamente em saída de bola, Higor Leite roubou e tocou outra vez para Dagoberto completar para a rede, com categoria, por cima de Belliato, e transformar o placar em goleada: 4 a 1. Ainda deu tempo do Tigre descontar, aos 37 minutos, novamente de cabeça e novamente com Liel, após cruzamento de Eduardo, mas não dava tempo para mais nada. Carlos Henrique ainda teve uma boa chance de ampliar, um minuto depois, mas chutou por cima do gol. Agora, o Tigre faz uma nova decisão, no sábado, diante do CRB, no Majestoso.

Campeonato Brasileiro – Série B – 35ª Rodada

06/11 (terça-feira) – 19h15min – Estádio do Café, em Londrina(PR)

LONDRINA

Vagner; Lucas Ramon, Matheus Mancini, Dirceu e Savio; João Paulo, Germano e Higor Leite (Dudu); Paulinho Moccelin, Dagoberto (Carlos Henrique) e Felipe Marques (Patrick Vieira). Técnico: Roberto Fonseca

CRICIÚMA

Júnior Belliato; Eduardo, Sandro, Fábio Ferreira e Jean Mangabeira (Gabriel); Liel, Ronaldo (Ralph), Marlon Freitas e Élvis; Vítor Feijão (Alex Maranhão) e Andrew. Técnico: Mazola Júnior

Arbitragem: Emerson de Almeida Ferreira; Auxiliares: Celso Luiz da Silva e Marcus Vinícius Gomes (trio deMG)

GOLS: Dagoberto (1/1T e 27/2T) e Felipe Marques (4/2T e 13/2T) (L); Liel (39/1T) (C)

Cartões Amarelos: Élvis, Jean Mangabeira e Ronaldo(C); Paulinho Moccelin (L)

Cartões Vermelhos: Não Houve

Público: 9.360

Renda: Não informada

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.