- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Brusque

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Gabriel Cardoso/Brusque FC

A máxima “jogou como nunca, perdeu como sempre” se aplica ao Criciúma para explicar a apresentação da noite desta quarta-feira diante do Brusque, no estádio Augusto Bauer. Foi outro Tigre em relação ao time treinado por Lisca: mais aplicado, aguerrido, atacando e buscando o gol, porém, em uma falha do zagueiro Ianson e um chute incrível de Neguete, o time sofreu dois gols. Maílson chegou a empatar, mas o time carvoeiro não conseguiu segurar o resultado, apesar da boa atuação em especial na etapa final. Com a derrota por 2 a 1, combinada com a vitória do Concórdia diante do Avaí, na Ressacada, o Criciúma entra na zona de rebaixamento do Campeonato Catarinense e ainda não conseguiu somar pontos longe do Majestoso na edição 2018 do Estadual.

Os aproximadamente 40 torcedores que acompanharam o Tigre, em Brusque, viram os dois times buscaram o ataque no início da partida. O time da casa pressionava um pouco mais e complicava o Criciúma. Aos três minutos, o goleiro Luiz foi obrigado a sair da área e dar um balão na bola, pois o time errou a saída de jogo devido à pressão do Brusque. Aos cinco minutos, Luiz fez duas grandes defesas. No primeiro lance, Carlos Alberto finalizou e o capitão tricolor pegou no canto, na volta, Wilson Júnior chutou e o goleiro brilhou novamente evitando o primeiro gol do time da casa.

Aos sete minutos, Andrew chegou bem pela esquerda, mas o zagueiro Antônio Carlos antecipou e colocou para escanteio. Na cobrança de Alex Maranhão, Jean Mangabeira subiu e a bola saiu pela linha de fundo. Os três zagueiros do Criciúma eram Jean Mangabeira, Barreto e Nino. Ianson saia mais como lateral esquerdo, enquanto Andrew era um atacante pela esquerda. Assim, ficava formatado um 3-5-2. O Tigre chegou bem aos 13 minutos quando Élvis lançou Andrew pela esquerda. O atacante cruzou e João Paulo não conseguiu finalizar. Na sobra, Élvis armou novamente a jogada, mas a zaga do Brusque afastou para escanteio. Alex Maranhão cobrou, Nino cabeceou e Dida pegou. A resposta do time da casa foi no minuto seguinte: Douglas Silva lançou Neguete que cruzou e Luiz defendeu.

Após a pressão inicial do Brusque, o Tigre passou a atacar mais e assumiu o controle do jogo. Andrew deu um drible desconcertante em João Carlos e cruzou, mas João Paulo não alcançou. O Tigre assumiu o controle da partida a partir dos 15 minutos, mas com poucas chances de gol. Aos 21 minutos, Élvis tocou para Carlos Eduardo, na intermediária. Ele chutou forte e a bola saiu alta, pela linha de fundo. Aos 23 minutos, Andrew roubou a bola na saída errada do time da casa. Barreto tocou para Carlos Eduardo que cruzou, buscando João Paulo, mas a zaga tirou. Na sequência, Alex Maranhão pegou a sobra do escanteio e chutou forte, pela linha de fundo.

O Criciúma era melhor em campo, arrefeceu a pressão do Brusque, e chegava próximo da abertura do marcador. Aos 25 minutos, o time da casa chegou com perigo, no erro do Tigre, e Alex Maranhão foi obrigado a fazer uma falta quase na linha da grande área. Lance perigosíssimo contra o gol de Luiz. Rafinha cobrou, a bola bateu na barreira e saiu para escanteio. Na cobrança de escanteio, Luiz se atrapalhou, mas defendeu. Aos 34 minutos, Ianson errou a saída de bola, ao atravessá-la de um lado para outro, Neguete pegou na esquerda, em velocidade, e cruzou para Rafinha que entrou pelo meio e completou para a rede: 1 a 0 para o Brusque, quando o Tigre era melhor na partida. Após o gol, o time da casa reassumiu o controle do jogo. Aos 44 minutos, Élvis tocou para Carlos Eduardo na direita e o lateral soltou a bomba, mas a bola desviou em Neguete e saiu. “Estávamos bem no jogo e entregamos um gol. Agora é descansar para buscar a virada. Nós temos que sair com a vitória daqui”, disse o meia Élvis, no intervalo.

Na etapa final, com Maílson no lugar de Alex Maranhão, o Tigre voltou pressionando o time da casa. O esquema mudou para o 4-4-2 com Andrew de lateral esquerdo e o meio campo formado por Jean Mangabeira, Barreto, Douglas Dodi e Élvis. Mailson e João Paulo formaram o ataque. Aos sete minutos, Maílson fez a jogada com Andrew pela esquerda e cruzou, mas a bola bateu em Antônio Carlos e saiu pela linha de fundo. Após a cobrança de escanteio, Andrew viu o goleiro Dida adiantado e chutou por cobertura, de longe, mas o jogador do Brusque conseguiu defender.

Aos 10 minutos, o técnico interino Grizzo deixou o time ainda mais ofensivo ao retirar o volante Jean Mangabeira e colocar o meia Wallacer. O comandante procurou dar mais consistência e melhor armação de ataque ao time carvoeiro. Aos 12 minutos, João Paulo fez ótimo lançamento para Maílson que ficou cara a cara com Dida, deslocou o goleiro e empatou o jogo: 1 a 1. No minuto seguinte, Élvis tentou o chute e a bola bateu na zaga, quase o Criciúma desempatou o jogo.

João Paulo teve boa chance aos 17 minutos ao receber a bola de Carlos Eduardo. O atacante girou, mas chutou por cima da trave de Dida. Aos 17 minutos, Élvis tocou bem para Maílson que finalizou de primeira no canto do goleiro do Brusque, que colocou para escanteio. O Brusque não conseguia mais ameaçar o Tigre – que ficava mais próximo do segundo gol. Aos 21 minutos, Élvis, um dos melhores jogadores em campo, finalizou forte e ameaçou o goleiro Dida.

Aos 26 minutos, Ianson falhou novamente, Clebson roubou a bola e lançou Rafinha, quase no bico da pequena área, mas ele desperdiçou a chance, para sorte do Criciúma. Dois minutos depois, Jean Dias bateu escanteio e Antônio Carlos cabeceou pela linha de fundo. Aos 30 minutos, Neguete encontrou um espaço na intermediária e soltou a bomba para desempatar a partida: 2 a 1 para o Brusque em um chute incrível e improvável.

Dois minutos depois de sofrer o segundo gol, Élvis recebeu a bola na marca do pênalti, sozinho, pensou que estava impedido, demorou para finalizar e perdeu a bola, desperdiçando uma chance incrível. Na sequência, Maílson fez uma bela jogada e finalizou para Dida fazer uma grande defesa. Nos últimos cinco minutos, o Tigre ainda tentou igualar, em chances com Maílson, sem sucesso. Aos 50 minutos, em contra-ataque, Wilson Júnior passou por Ianson, ficou cara a cara com Luiz, mas chutou para fora perdendo gol incrível. Final de jogo eletrizante.

Campeonato Catarinense – 5ª Rodada – Primeiro Turno

31/01 (quarta-feira) – 20h30min – estádio Augusto Bauer

BRUSQUE

Dida; João Carlos (Ruan (Clébson)), Antônio Carlos, Douglas Silva e Neguete; França, Carlos Alberto, Adãozinho e Jean Dias; Rafinha (Careca) e Wilson Júnior. Técnico: Pingo

CRICIÚMA

Luiz; Jean Mangabeira (Wallacer), Nino e Ianson; Carlos Eduardo (Kalil), Barreto, Douglas Dodi, Alex Maranhão (Maílson), Élvis e Andrew; João Paulo. Técnico: Grizzo.

Arbitragem: Bráulio da Silva Machado. Auxiliares: Clair Dapper e Bruno Müller.

GOL: Rafinha (34/1T) e Neguete (30/2T) (B); Maílson (12/2T) (C)

Cartão Amarelo: Ruan, Carlos Alberto, Jean Dias, Rafinha e Adãozinho (B); Nino, João Paulo e Jean Mangabeira (C).

Cartão Vermelho: Não Houve

Público: 1.455

Renda: R$ 31.160,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.