- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Colombo

O fantasma do rebaixamento segue assustando o Criciúma, no Campeonato Catarinense. Quando tudo caminhava para uma vitória do Tricolor Carvoeiro, o Brusque igualou o resultado e complicou a situação do Tigre. O 1 a 1 em casa é terrível para o time treinado por Argel Fucks. Ao final, vaias e muita reclamação do torcedor nas arquibancadas. “O torcedor tem todo direito de reclamar, eles pagam ingresso, mas o Argel vai tratar de arrumar o time para o jogo de quarta contra o Avaí”, disse o lateral Marlon, ao final do jogo.

O Tigre começou o jogo pressionando o adversário. Antes do primeiro minuto, já houve um escanteio. Resultado de uma marcação forte executada pelo time de Argel Fucks. Porém, o primeiro chute a gol foi do Brusque. Aos 4 minutos, Rafinha recebeu a bola pelo meio, nas costas de Barreto, e chutou forte, mas pela linha de fundo. Com a estreia de Marlon, o Criciúma buscava as jogadas pelo lado esquerdo. O lateral fazia boas triangulações com João Paulo e Élvis. Aos 11 minutos, Élvis bateu falta pela direita, o lateral Marlon fechou pelo meio, mas cabeceou para fora. Um minuto depois, Élvis tocou para Zé Carlos, o centroavante fez o pivô e João Paulo chutou. A bola balançou a rede, mas pelo lado de fora e arrancou o tradicional “uuuuh” da torcida.

Dominando a partida, o Criciúma não deixava o Brusque jogar e seguia buscando o ataque. Aos 19 minutos, Élvis alçou a bola, Zé Carlos deu uma “casquinha” de cabeça e João Paulo finalizou de virada, de fora da área, para grande defesa de Dida. O goleiro colocou para escanteio. O Tricolor Carvoeiro diminuiu um pouco a velocidade e viu o Brusque melhorar na partida. Entretanto, aos 30 minutos, a torcida tricolor voltou cinco anos no tempo: Sueliton arrancou pela direita e cruzou com perfeição para Zé Carlos que apareceu na segunda trave e completou para o gol. 1 a 0 para o Tigre, como em um “deja-vu” de 2013. “Agradeço por ter voltado e poder vestir essa camisa. Posso ajudar dentro de campo. Agora, temos que ficar ligados pra não acontecer como no jogo contra o Tubarão”, disse o Zé do Gol, no intervalo.

Aos 37 minutos, Valkenedy arriscou o chute da intermediária, a bola quicou no gramado e dificultou a defesa em dois tempos do goleiro Luiz. No final do primeiro tempo, sucessivos erros das duas equipes prejudicou a qualidade do jogo. “Nos portamos bem, soubemos aproveitar o contra-ataque e o nosso finalizador soube aproveitar. Agora é manter e até ampliar”, disse o zagueiro Sandro, no intervalo.

Na etapa final, o Brusque tentou pressionar o Tigre, que buscava os contra-ataques. O técnico Argel Fucks gesticulava muito com o time, especialmente com o meia Élvis, pedindo mais ofensividade e velocidade na saída para o lance ofensivo. Aos 13 minutos, Rafinha ficou frente a frente com Luiz, mas recuou para Hélio Paraíba que abriu para Carlos Alberto. O lateral esquerdo finalizou mal, pela linha de fundo. Lance de perigo para o Bruscão.

A partida, que já contou com poucos lances de gol no primeiro tempo, ficou ainda mais lenta na etapa final. O Tricolor Carvoeiro mantinha o resultado, enquanto o adversário não tinha força para ameaçar o gol de Luiz com mais força. Aos 26 minutos, Jean Dias cobrou falta da intermediária, a zaga afastou e Rafinha finalizou no rebote. A bola pegou no peito do zagueiro Nino, mas os jogadores do Brusque pediram pênalti. O árbitro, corretamente, nada marcou.

Aparentemente cansado, o Tigre ficou sem mecânica de jogo nos últimos 15 minutos. Assim, o Brusque tentou chegar ao ataque. Aos 37 minutos, em uma falha da defesa do Brusque, Zé Carlos ficou na frente de Dida, mas não conseguiu alcançar a bola a tempo para fazer o gol. Aos 44 minutos, a punição para o Tigre: Jean Dias cruzou Bidía cabeceou, Luiz fez uma grande defesa, mas Luizinho completou para o gol: 1 a 1. Um banho de água fria no Tigre, que pode finalizar a rodada na lanterna do Catarinense. “Vacilamos. Não podíamos ter levado esse gol no final. A torcida tem todo direito de reclamar”, finalizou o atacante Andrew.

 Campeonato Catarinense – Segundo Turno – 5ª Rodada

Sexta-feira, 16/03 – 19h15min – estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Sueliton (Carlos Eduardo), Sandro, Nino e Marlon (Enzo); Barreto, Douglas Dodi e Élvis (Luiz Fernando); João Paulo, Zé Carlos e Andrew. Técnico: Argel Fucks

BRUSQUE

Dida; Edilson, Douglas Silva, Neguete e Carlos Alberto; Valkenedy, Jean Dias, Adãozinho e Anderson Safira (Bidía); Rafinha (Luizinho) e Hélio Paraíba (Jefferson Renan). Técnico: Pingo

Arbitragem: Heber Roberto Lopes. Auxiliares: Alex dos Santos e Henrique Neu Ribeiro

GOLS: Zé Carlos (30/1T) (C); Luizinho (44/2T) (B)

Cartões Amarelos: Douglas Dodi, Marlon e Luiz Fernando (C); Carlos Alberto, Jean Dias e Douglas Silva (B)

Cartões Vermelhos: Não Houve

Público: 2.655

Renda: R$ 41.520,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.