- PUBLICIDADE -

Lucas Colombo
Criciúma

 

- PUBLICIDADE -

Criciúma e Figueirense começaram a Série B com campanhas distintas, enquanto o Tigre buscava a recuperação, após iniciar o campeonato com cinco derrotas seguidas, o time da capital estava na ponta, lutando pelo acesso. Porém, 32 rodadas se passaram e, atualmente, as equipes se encontram com o mesmo número de pontos, de vitórias, derrotas e empates. Sendo que o Figueira leva vantagem no saldo de gols e por isso figura na 12ª posição uma a frente do Tricolor.  Por isso, ambas as equipes entram em campo neste sábado, às 16h30min, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, com um objetivo: a vitória. Do lado tricolor para chegar as 44 pontos e ficar mais próximo de assegurar a permanência na B. Já o Figueira busca acabar a fase ruim de cinco jogos sem vencer.

 

“Jogo muito difícil. Equipe do Figueirense pela pressão que está, muitos jogos sem vitória, principalmente, em casa. A pressão lá será, com certeza, muito grande, até por esse encargo que colocaram neles de acesso. Foi um time montado para subir e que esses problemas extra campo com certeza comprometeram o acesso do Figueirense, porque eles tem uma belíssima equipe com grandes jogadores muito técnico. Estudamos os últimos dois jogos deles, agora com o trabalho do Micale (…) Nós esperamos um jogo dificílimo e duríssimo contra uma das melhores equipes da competição, não tenha duvida nenhuma disso”, comenta o técnico Mazola Júnior.

 

Com os desfalques de Sueliton, Nino e Marlon, por lesão. Além de Zé Carlos e Élvis, suspensos. Mazola Júnior fez mistério quanto ao time que deverá entrar em campo no sábado. O elenco realizou a última atividade antes da partida, sexta-feira pela manhã no CT, com portões fechados. “Veja bem como a coisa está funcionando, eu não tenho informação nenhuma do Figueirense.  Para vocês verem, eu sei que é chato para vocês, eu sei que não é legal, mas para vocês verem como está essa situação. Quanto menos informações nos dermos para o adversário é melhor. Porque você da muita informação para o adversário e hoje com todo essa parafernália que existe aí, o cara estuda o seu time de ponta a cabeça. Fica 48h estudando individualmente seus jogadores”, explica Mazola. Marlon foi julgado pelo TJD devido a sua última expulsão e foi sentenciado a um jogo de suspensão, que já foi cumprido.

 

Na atividade de quinta-feira, o comandante tricolor esboçou uma equipe com Luiz; Carlos Eduardo, Sandro, Fábio Ferreiro e Iago; Liel, Jean Mangabeira, Eduardo e Gabriel; Alex Maranhão e Vitor Feijão. E fez diversos testes na equipe como improvisar Mangabeira e Eduardo nas laterais e colocar Ronaldo no meio. “É lógico que na nossa cabeça nós já temos as coisas definidas. Vamos tentar captar alguma informação de lá. Vamos ver se o Micale vai fazer algumas alterações ou não para que possamos adequar nossa equipe, as peças da melhor maneira possível. Temos que gerir, além desses problemas todos,  10 jogadores com cartões amarelos, e o próximo adversário aqui em casa é o Goiás”, analisa Mazola.

 

Acostumado com desfalques

 

Durante as últimas partidas uma constante tem ocorrido no elenco Tricolor: os desfalques.  Fato que chama a atenção e que, para Mazola, é natural devido a idade avançada dos atletas titulares ou de jogadores que já tenham histórico de lesões, além do desgaste da reta final da competição. “São problemas que infelizmente viraram rotineiros aqui no Criciúma, mas estamos trabalhando bem essa semana, os meninos deram uma resposta muito boa e o fator motivacional, com certeza, vai nos ajudar a superar as dificuldades para esse clássico”, ressalta o técnico carvoeiro.

 

Uma vitória, segundo Mazola, seria importante para que se chegue mais próximo da garantia de permanência na Série B. Ele acredita, que dependo da rodada, com um resultado positivo na capital o Tigre já poderá atingir essa meta.  “Se você for estudar pelos confrontos diretos , talvez 43 pontos dê. O que me preocupa nessa situação toda é o número de vitórias. O ideal são 45 pontos e 12 vitórias e nós  se conseguirmos esse resultado contra o Figueirense, nós vamos ter apenas 11 vitorias. Então eu, sinceramente, pela experiência que tenho nessa competição e pelo que está envolvendo, principalmente, da turma lá de baixo, a gente vai focar até mais do que 45 pontos”, comenta Mazola.

 

Terminar na primeira parte da tabela

 

Apesar de o acesso ser um sonho distante, o comandante do Criciúma traçou a meta para o elenco tricolor de chegar na primeira parte da tabela. Para isso será necessário somar, segundo ele, somar mais de 50 pontos. “Eu acho que em respeito a camisa e a esse clube fantástico e a essa torcida fantástica, nós temos que procurar ao máximo honrar essa camisa. Isso que tenho falado para os atletas.  Apesar de ainda não termos atingido os 45 pontos, mas mesmo que nós os atingirmos e eu espero que seja bem rápido, nós temos que honrar e traçar como objetivo nosso terminar na primeira parte da tabela. Eu acho que é mais do que justo para com o clube, para com o torcedor e para com toda  a cidade de Criciúma”, traça o comandante Tricolor.

 

Já são três jogos sem vitória e uma das apostas de Mazola para acabar com esse “jejum” é a forte defesa do Criciúma.  Para, desta forma, conseguir parar o, segundo ele, forte sistema ofensivo do Figueirense que utiliza, principalmente, a força de apoio dos laterais. “Vamos tentar encerrar essa fase negativa, também, de três jogos sem vitória. Temos que pensar também no aspecto positivo disso tudo que nos últimos três jogos tomamos um gol apenas. Isso é muito importante, ainda mais devido a todas a situações que estamos enfrentado de lesões e suspensões”, analisa o técnico do Criciúma.

 

O elenco Tricolor viajou na tarde de sexta-feira e já está na capital em concentração para o clássico. “Vamos tentar mesmo sendo fora, clássico, contra uma equipe muito qualificada, que está com seus problemas, mas dentro do campo essas coisas, em um clássico, tendem a desaparecer”, finaliza Mazola.

 

Campeonato Brasileiro 2018 – 33ª Rodada

 

27/010 (sábado) – 16h30 – Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis

 

FIGUEIRENSE

 

Denis; Matheus Sales, Pereira, Henrique Trevisan e João Paulo; Zé Antônio, Betinho, Daniel Costa, Juninho e Felipe Amorim; Elton.

 

CRICIÚMA

 

Luiz; Carlos Eduardo, Sandro, Fábio Ferreira e Iago (Mangabeira); Liel, Jean Mangabeira (Ronaldo), Gabriel e Eduardo; Alex Maranhão e Vitor Feijão. Técnico: Mazola Júnior

 

 

Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães. Auxiliares: Thiago Henrique Neto e Daniel do Espírito Santo. (Trio do RJ)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Lucas Colombo
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.