Criciúma: relatório do Observatório Social alerta para número de afastamentos na Saúde

Número de afastamentos é mais que o dobro de servidores efetivos. E, comprimidos distribuídos reduzem em cinco milhões

- PUBLICIDADE -

Com a intenção de chamar a atenção da sociedade para os números atuais da Saúde em Criciúma, o Observatório Social, por meio da Câmara de Saúde, elaborou um relatório de informações referente ao ano de 2017. Como nos anos anteriores, a quantidade de comprimidos distribuídos chamou a atenção, assim como o valor empenhado na pasta, que é o menor nos últimos três anos. Mas o destaque fica para o número de afastamentos de servidores no último ano, que chega a quase três mil, mais que o dobro do número de funcionários.

Em 2017, os números cedidos pela Secretaria de Saúde mostram que a pasta possuía 707 servidores efetivos, 407 contratados e 47 comissionados, totalizando 1.161 servidores, porém, o número de afastamentos chega a 2.753 no ano, mais que o dobro de trabalhadores.

- PUBLICIDADE -

Quantidade de comprimidos distribuídos diminui mais de cinco milhões

Em 2016 a quantidade de comprimidos distribuída ultrapassava 30 milhões anualmente. Em 2017 os números tiveram uma redução significativa, cinco milhões de comprimidos a menos que o relatório do ano anterior.

Segundo as informações da Secretaria de Saúde, são consumidos em torno de 240 tipos de medicamentos, que somados totalizam 25.549.035 unidades de comprimidos. Em 2016 o número era de 30.628.284.

Custo por habitante

Na média com cidades de mesmo porte no estado, Criciúma apresenta números bem parecidos. O Custo Per Capita por habitante em Criciúma ficou em R$ 1.053,11 anuais para 211.369 habitantes. A cidade de Chapecó, com 213.279 habitantes possui um custo de R$ 1.231,75 e Itajaí, com 212.615 habitantes possui um custo de R$ 1.302,01 anuais por habitante.

Receita maior, investimento menor

Outro dado que chamou a atenção do OS Criciúma foi a redução do valor empenhado em Saúde em referência aos anos anteriores. Em 2017 foram empenhados na Saúde R$ 222.594.809,59 e a receita foi de R$ 666.388.728,54. Em 2016, por exemplo, a receita do município foi de R$ 587.294.748,25 e foram empenhados em Saúde R$241.443.695,35.

Lista dos dez remédios mais consumidos

1 Clonazepam 2mg 1.476.221 – Ansiolítico

2 Losartana potássica 50mg 1.422.893 – Anti-hipertensivo

3 Omeprazol 20mg 1.405.378 – Antiulceroso

4 Aas (ácido acetilsalicílico) 100 mg 1.305.890 – Anti-inflamatório e antiagregante plaquetário

5 Fluoxetina 20mg 1.081.611 – Antidepressivo

6 Hidroclorotiazida 25mg 1.073.810 – Anti-hipertensivo

7 Metformina, cloridrato 850mg 1.032.168 – Antidiabético

8 Enalapril 10mg 1.029.018 – Anti-hipertensivo

9 Amitriptilina 25mg 917.836 – Antidepressivo

10 Paracetamol 500mg 763.419 – Analgésico e antitérmico

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.