Série Relato de Um Tempo: Prefeitura passa a ocupar vários espaços

Para saber ao certo a extensão da perda da memória documental e institucional do município devido aos incêndios, o prefeito Márcio Búrigo assinou o Decreto SA/n.924/15, de 18 de junho de 2015, constituindo a “Comissão para apurar perdas e danos documentais no Prédio da Prefeitura Municipal de Criciúma”

Uma barraca em frente ao prédio da prefeitura abrigava servidores municipais que informavam para onde havia ido os serviços da prefeitura
- PUBLICIDADE -

Joice Quadros

Nas instalações cedidas pelo empresário César Smielewski, no Bairro Ceará, Avenida Estevão Emílio de Souza, passaram a atender as Secretarias da Fazenda (Contabilidade, Tesouraria, Controle Interno e Dívida Ativa), da Administração, Gabinete do Vice-Prefeito, Procuradoria, Diretoria de Informática, Divisão de Planejamento Físico Territorial (DPFT) e os setores do Protocolo, Cadastro, Compras, Logística, Licitações, Arrecadação, Almoxarifado,

- PUBLICIDADE -

No Centro de Eventos foram instalados o Gabinete do Prefeito, Conselho Superior de Gestão, Secretaria da Coordenação do Governo, Comunicação, Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Diretoria de Patrimônio, Secretaria de Assistência Social, Conselhos, Defesa Civil, INCRA, Ouvidoria e Setor Comunitário.

A Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana ficou instalada provisoriamente da Galeria OctáviaBúrigoGaidzinski, anexa ao Teatro Municipal Elias Angeloni, até outubro de 2015, quando se transferiu para novas instalações na rua Mem de Sá, próxima ao Parque Centenário.

A Secretaria de Saúde instalou-se no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – Cerest, no Bairro Santa Augusta, e atendimento normal nas Unidades Básicas de Saúde.

A Secretaria Municipal de Educação passou pelo Teatro Municipal e foi para uma sede permanente localizada no prédio do Ministério Público a partir de 23 de junho de 2015.

Comissão analisa perdas e danos documentais

Para saber ao certo a extensão da perda da memória documental e institucional do município devido aos incêndios, o prefeito Márcio Búrigo assinou o Decreto SA/n.924/15, de 18 de junho de 2015, constituindo a “Comissão para apurar perdas e danos documentais no Prédio da Prefeitura Municipal de Criciúma”. Para presidente desta Comissão foi nomeado Levy Garcia da Silva. Engenheiro Agrimensor e atuando desde 1984 na Divisão de Planejamento Físico Territorial (DPFT),

Em setembro, no dia 11, os trabalhos da Comissão foram encerrados. O relatório resultante foi encaminhado pelo presidente da Comissão, Levy Silva, para a Secretária Municipal de Administração Dalvânia Cardoso. Seguindo os trâmites legais, o relatório foi encaminhado através do Setor de Protocolo da Prefeitura Municipal de Criciúma, gerando o processo n. 457.453, no dia 28 de setembro de 2015.

Polícia Civil afasta suspeita de atos criminosos

No dia 08 de julho de 2015, uma quarta-feira, uma coletiva de imprensa concedida pela cúpula da Polícia Civil de Criciúma informava que os incêndios no prédio da Prefeitura de Criciúma haviam sido provocados por sobrecarga elétrica, afastando suspeitas de atos criminosos. O inquérito foi conduzido pelo delegado André Milanese. Presente na coletiva o coordenador Regional do Instituto Geral de Polícia (IGP), Norton Machado, confirmou que o segundo incêndio teria ocorrido devido novamente a uma sobrecarga pela união da rede nova de energia com a antiga. O delegado Regional de Polícia, Jorge Koch, informou ao final dos trabalhos que o resultado do inquérito havia sido encaminhado para o Ministério Público (MP), que poderia tanto pedir o arquivamento do processo ou a baixa para novas diligências policiais.

Ministério Público arquiva processo

Por volta de outubro de 2015,a 1ª. Promotoria de Justiça de Criciúma, a cargo do promotor de Justiça Ricardo Figueiredo Coelho Leal, solicitava novas investigações sobre os incêndios que atingiram o prédio da prefeitura. O pedido foi encaminhado ao delegado André Milanese, coordenador da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Criciúma.

Em dezembro, dia 18, os jornais noticiaram que a 1ª. Promotoria de Justiça de Criciúma arquivou o inquérito que apurava as causas dos dois incêndios ocorridos na prefeitura neste ano. O Ministério Público, a exemplo do que já havia sido divulgado pela Polícia Civil, entendeu que não houve responsabilidade criminal nos incêndios.

Equipamentos sinistrados são doados

Foram dias que exigiram muito de todos, principalmente da Coordenadora de Defesa Civil de Criciúma, Ângela Mello, orientando para a retirada com segurança dos móveis e equipamentos não atingidos pelos sinistros. Todos os móveis e equipamentos que conseguiram ser salvos dos incêndios foram levados para as instalações provisórias da prefeitura no Bairro Ceará.

Ferros e outros materiais inservíveis foram levados para o Ecoponto, um ponto de coleta de materiais eletrônicos e outros que podem ser reciclados,pertencente a Fundação de Amparo ao Meio Ambiente de Criciúma (Famcri). Junto ao Ecoponto funcionava a Associação dos Catadores de Criciúma (Acrica), que recebeu em doação parte deste material para ser reciclado.

*Depoimentos colhidos e fatos presenciados a época dos sinistros.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.