- PUBLICIDADE -

Joice Quadros

Desde as primeiras horas daquela manhã quente ensolarada da segunda-feira, 8 de junho, um dia depois do segundo incêndio,  a imprensa percorria as laterais do prédio da prefeitura, com boletins instantâneos. A rádio Eldorado, com o comando de Denis Luciano, foi mais além e passou a transmitir toda a sua programação direto do Paço Municipal.

- PUBLICIDADE -

Às 09h25min a imprensa se aglomerava ao lado do prefeito Márcio Búrigo no gramado ao lado do prédio da prefeitura. Bem objetivo, como sempre, o prefeito anunciou que o prédio estava interditado e nada mais funcionaria ali até sua completa restauração. “O prédio está com sua estrutura física comprometida”, confirmou. A partir daquela data foi todo isolado por tapumes.

A imprensa continuou ali mobilizada. Entre eles, Gentil da Luz, do Jornal dos Bairros, o repórter fotográfico Ulisses Job, freelancer, e os jornalistas Kiara Domit e Diogo Vargas, do Diário Catarinense.

Chega a comitiva de lideranças estaduais

O período da tarde foi de muita solidariedade. Por volta das 13h30min chegou ao Paço Municipal o vice-governador Eduardo Moreira e, meia hora depois, o governador Raimundo Colombo. Depois de uma vistoria externa do prédio, dirigiram-se, todos, para a sede da Associação Empresarial de Criciúma.

Às 14h50min iniciava no Auditório Jayme Zanatta, na ACIC, uma reunião e entrevista coletiva com o governador, o vice e o prefeito. Mais de cem pessoas, entre políticos, empresários, representantes de órgãos de segurança e imprensa estavam ali. Uns para falar, outros para ouvir. Foi um ato simbólico de solidariedade.

Entre tantos, estavam ali o ex-prefeito Altair Guidi, o presidente da ACIC, Cesar Smielewski, o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Fabris, os deputados federais Ronaldo Benedet e Jorge Boeira, os deputados estaduais Valmir Comin, Claiton Salvaro, Ricardo Guidi e Luis Fernando Cardoso, a Secretária da Justiça e Cidadania Ada de Luca, o Secretário Acélio Casagrande e o Comandante da Polícia Militar Evandro de Andrade Fraga.

Moreira lamenta oprejuízo histórico

Em seu pronunciamento na reunião da ACIC,Eduardo Moreira lamentou a perda de documentos históricos no incêndio. “O acervo da cidade, a história da cidade, documentos irremediavelmente perdidos. A história é que nós vamos ter que buscar”. Estava certo. Aos poucos, quando todos iam se dando conta do que estava perdido, veio a lembrança do painel da artista plástica gaúcha Jussara Guimarães no gabinete do prefeito. Impossível fazer outro porque aquele estava no contexto histórico dos anos 80 e Jussara já não estava mais em nosso meio.

A vida continuava

Nesse mesmo dia, às 16 horas, Márcio Búrigo reunia sua equipe no gabinete improvisado no Centro de Eventos. A vida do cidadão precisava continuar. “O governo não pode parar”, destacou.

No dia seguinte, 09 de junho, uma terça-feira, logo pela manhã os secretários Jader Westrup, Dalvânia Cardoso e CloirDassoler saíram em busca de espaços para abrigar a Prefeitura.

As novas instalações

Várias alternativas e possibilidades foram sendo estudadas. A mais imediata e viável foi aceitar a oferta do empresário César Smielewski, proprietário de um prédio no Bairro Ceará, onde estavam as instalações de uma de suas empresas em sociedade com Cláudio Balsini e os filhos Guilherme e Oscar, a Domínio Sistemas, vendida há cerca de três anos. O prédio estava desocupado e o empresário, queera também o presidente da Associação Empresarial de Criciúma, decidiu emprestá-lo, sem custos, para a Prefeitura Municipal. César Smielewski justificou o empréstimo como sinal de parceria, já que há mais de dez anos sua outra empresa, a Betha Sistemas, em sociedade com os empresários Guilherme Balsini e Oscar Balsini, prestava serviços à prefeitura de Criciúma.

A mudança aconteceu no dia 30 de junho de 2015, um dia que amanheceu nublado e com previsão do serviço meteorológico de muita chuva.

*Depoimentos colhidos, fatos presenciados e textos produzidos na época do sinistro.

 

 

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.