- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Depois de um primeiro tempo com alguma dificuldade, o Tigre melhorou na segunda etapa, após a mudança de esquema e a entrada de Adalgiso Pitbull, e venceu o clássico regional diante do Tubarão por 1 a 0 e segue alimentando esperança de vencer o returno do Campeonato Catarinense. Luiz salvou o time ao pegar um pênalti duvidoso no final do jogo

O jogo começou em alta velocidade e com ambos os times buscando o ataque. Logo aos dois minutos, Jheimy cruzou rasteiro para Ricardinho, que, na entrada da meia lua, bateu para boa defesa de Luiz Carlos.

No minuto seguinte, Rafael Ratão foi lançado no meio da zaga do Tigre e Luiz fez grande defesa, nos pés do atacante, e evitou um lance de perigo do Tubarão

Aos 12 minutos, Alex Maranhão fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteiro para Jheimy, que entrou na marca do pênalti e finalizou pela linha de fundo, com o goleiro batido.

Tigre e Tubarão - foto Fernando Ribeiro CEC 4Aos 14 minutos, Caio Rangel recebeu a bola na direita e de calcanhar tocou para Alex Maranhão que bateu para fora. Ambas as equipes buscavam o ataque em uma partida aberta e movimentada, apesar de uma certa lentidão na saída de bola dos dois times.

O Criciúma sentia falta de Douglas Dodi para dar mais agilidade ao time. Aos 31 minutos, a bola tocou no braço de Gustavo Bastos na entrada da grande área, pela esquerda. Falta. Marlon bateu para fora e perdeu boa chance.

A partida perdeu qualidade na segunda metade da etapa inicial. Os times diminuíram a velocidade e o jogo ficou concentrado pelo meio.

Aos 36 minutos, Renteria recebeu na meia lua da grande área, levou vantagem, e foi derrubado por Raphael Silva. Falta perigosíssima, um passo à frente seria pênalti. Gustavo Bastos cobrou na barreira.

Tigre e Tubarão - foto Fernando Ribeiro CEC 3Na cobrança de escanteio curto, aos 43 minutos, Diogo Mateus cruzou e Jheimy cabeceou pela linha de fundo. “Precisamos trabalhar um time mais compacto. Nós estamos desorganizados, fazendo umas bolas desnecessárias por dentro e dando o contra-ataque para eles”, disse o goleiro Luiz, no intervalo.

Na etapa final, logo no primeiro minuto, Rafael Ratão cruzou e Gustavo Bastos cabeceou para defesa de Luiz em jogada ensaiada na saída de bola

Aos dois minutos, Adalgiso Pitbull arrancou pelo meio e tocou para Caio Rangel na direita. O atacante chutou cruzado, mas a bola caprichosamente saiu ao lado da trave. Chance perdida pelo Criciúma. Aos seis minutos, Rafael Ratão seguiu pela direita e cruzou para Rentería, mas Luiz se antecipou, deu um tapa na bola e evitou o gol do Tubarão.

O jogo recomeçou como no início da primeira etapa: com ambos os times buscando o gol.

Aos 12 minutos, Diogo Mateus cobrou escanteio, Caio Rangel escorou para o meio e Raphael Silva tocou para o gol, a bola beliscou o travessão e saiu pela linha de fundo. Aos 15 minutos, Rafael Ratão avançou pela direita e chutou cruzado para boa defesa de Luiz

Tigre e Tubarão - foto Fernando Ribeiro CEC 2Aos 18 minutos, Adalgiso Pitbull foi lançado, ficou frente à frente com Luiz Carlos, ele driblou o goleiro, perdeu ângulo, mas se recuperou no lance e finalizou para abrir o placar: 1 a 0.

A mudança de sistema do Tigre, no intervalo, deu resultado. O atacante Caio Rangel também apareceu mais na partida e criou problemas para a defesa do Tubarão.

Aos 30 minutos, Raphael Silva apareceu pela esquerda e cruzou para Andrew que cabeceou pela linha de fundo.

Aos 35 minutos, Rentería recebeu a bola na área e é derrubado por Diego Giaretta. Pênalti e expulsão do zagueiro tricolor. Aos 37 minutos, na cobrança do colombiano, Luiz defende no canto direito do goleiro. Assim, se consolidou a vitória do Tricolor Carvoeiro no clássico regional e mantendo vivas as esperanças de conquista de título do returno.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.