- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A queda no preço do Gás Natural Veicular (GNV) aliado ao alto custo da gasolina tem gerado uma alta procura de motoristas por oficinas especializadas na conversão do combustível.

Prova disso, é que Santa Catarina aparece como o terceiro maior estado na quantidade de veículos que utilizam o GNV: 91 mil. A expectativa é crescer mais 10% em 2017. Com a queda no valor, anunciada pela Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGás), os postos devem firmar o valor do combustível em R$ 1,89, preço 80% menos que a gasolina que, em média custa R$ 3,70. Os novos valores já podem ser encontrados nos postos de combustíveis de Criciúma.

Um dos que sente o aumento na procura é o empresário Jairo André Zago. Proprietário da Auto Gás GNV, em Criciúma, ele registrou aumento de 60% na procura pela conversão em janeiro. “Somente na semana passada, fizemos o trabalho em 47 carros. Somente hoje (ontem), são 17 e temos agendados até fevereiro ainda”, comenta.

Ainda neste ano, o GNV deve ter queda de mais 12% no preço.

No gosto do público

Zago salienta que o combustível tem caído no gosto do público, principalmente nos últimos dois anos e atualmente é mais seguro que a gasolina. “Nós por exemplo, utilizamos a tecnologia mais avançada que existe, o Kit Positivo 5ª Geração, que é aceito por qualquer carro”, diz.

Instalação e Manutenção de GNV - Tcharlles Fernandes (12)Os valores da instalação partem de R$ 2,8 mil, dependendo do tamanho do cilindro escolhido. “O gás natural não atinge somente uma classe. Na oficina temos carros que vão de R$ 10 mil a R$ 100 mil”, acrescenta Zago.

O presidente da SCGás, Cósme Polêse, fala que o gás veicular substitui a gasolina, o etanol e o diesel com grande vantagem. “É lamentável que as prefeituras não tenham a frota de veículos com GNV. Pelos nossos cálculos, um veículo fazendo dois mil quilômetros com GNV se paga só com a economia. Há uma cultura no Brasil de que o GNV não vale a pena. As oficinas que não são autorizadas a mexer nos veículos a gás desacreditam o GNV. Mas, ele é altamente econômico. Em Portugal, até as frotas de ônibus utilizam o GNV. Aqui, o transporte coletivo poderia ser feito utilizando o gás, que baixou 25%, enquanto que a gasolina subiu”, pontua.

Instalações clandestinas

Antes de fazer a conversão de gasolina para gás, o dono do veículo precisa ficar atento à segurança. Zago revela que hoje, muitas oficinas trabalham de forma clandestina, sem a autorização do Inmetro. “Somente em Criciúma são seis ou sete que trabalham desta forma. Já foram denunciadas, mas o Inmetro diz que não tem gente suficiente para fiscalizar”, menciona.

Novas tarifas são apresentadas

A nova tarifa de gás natural em Santa Catarina, após a redução média de 23,95% em todos os segmentos foi apresentada em entrevista coletiva concedida pelo governador Raimundo Colombo, pelo vice Eduardo Pinho Moreira e pelo presidente da SCGÁS, Cósme Polêse, no Centro Administrativo, em Florianópolis. “Acreditamos que essa redução irá beneficiar muito a competitividade das indústrias e muitas outras atividades econômicas do estado, principalmente por estarmos passando por um período crise que Santa Catarina tem enfrentado de forma exemplar. Além disso, ter a tarifa mais barata do Brasil ajuda o estado a atrair novos empreendimentos e fomentar a economia local, já que o gás natural tem um importante papel no desenvolvimento socioeconômico”, destaca o Colombo.

Aumento da competitividade

As reduções médias em vigor são de 24,8% no segmento industrial, 15,45% no segmento comercial, 11,62% no segmento residencial e de -0,3029 R$/m³, equivalente a 24,98% na tarifa de fornecimento de gás para aos mais de 130 postos que comercializam o gás natural veicular (GNV) nas diversas regiões catarinenses.

Instalação e Manutenção de GNV - Tcharlles Fernandes (26)Com a resolução, 60 cidades e mais de 100 mil consumidores catarinenses serão beneficiadas, entre eles mais de 91 mil usuários de GNV, 10 mil unidades residenciais centenas de estabelecimentos comerciais e mais de 230 indústrias catarinenses que geram 85 mil empregos diretos.

Polêse, comemora a redução e acredita que com o aumento da competitividade a atividade industrial irá reagir ainda mais e os demais usuários do gás natural ganharão poder aquisitivo fomentando diversas outras atividades econômicas. “É um momento importante para a adequação do preço, trazendo para Santa Catarina maior competitividade em diversos segmentos da economia. Esse resultado é fruto da profissionalização da Aresc que em um ano conseguiu resolver diversos hiatos regulatórios da última década na distribuição do gás natural, entre eles a correta atualização da composição do preço do insumo”, afirma.

Benefício para empresas da região

Para o presidente da Associação Empresarial de Criciúma, César Smielevski, a diminuição representa o aumento da competitividade daqueles produtos que tem o gás como uma das principais matérias-primas. “Mesmo assim temos o gás, gasolina e diesel mais caro do mundo. É necessário que seu preço caia ainda mais”, diz.

Instalação e Manutenção de GNV - Tcharlles Fernandes (33)Na região, principalmente a cerâmica utiliza o gás como gerador de energia, porém, segundo Smielevski, devido ao alto preço, algumas empresas optam pela lenha ou pelo carvão vegetal. “Trabalhar com lenha ou carvão dá uma perda tremenda de eficiência, além do problema ambiental causado pelo desmatamento clandestino. É necessário que as empresas que optaram pela substituição do gás pela lenha retornem. Com isso, aumentamos a eficiência térmica, operacional, reduzimos a poluição do ar, o transporte rodoviário”, pontua.

Para que tudo isso ocorra, conforme o presidente da Acic é necessário reduzir o valor do metro cúbico do gás. “A concorrência se faz necessária, além da Petrobrás, precisamos ter outros fornecedores”, completa.

O Vice Presidente Sul da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Diomício Vidal, diz que a queda no preço não deve despertar o interesse de novos empresários, mas auxilia aqueles que já o utilizam. “Eles ficam com o ‘pé atrás’, porque infelizmente não temos uma política confiável, porém espero que estes valores não tornem a elevar. Aqueles que já usam, têm efeito positivo na diminuição de gastos”, complementa.

simulador

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.